domingo, 21 de dezembro de 2014

Jantar de Natal Robalos Hotspot - um relato diferente













Boas Festas!

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

"Aquecimento" para o jantar de Natal

No dia 29-11-2014 parte dos Amigos do Hotspot reuniram-se à mesa para um primeiro "aquecimento" para o jantar de Natal. Eu, o Urubu e o Cuco e as respectivas Famílias tivemos um convidado de honra - o nosso Amigo Mário Rodrigues (e Família), também ele Pescador (na reserva nos últimos anos) e recentemente (justíssimo) vencedor do programa televisivo "Chef's Academy". Foi-nos possível constatar "in loco" a arte do nosso Amigo, aliada às já nossas conhecidas boa disposição, humildade e simpatia.

O Mário esteve presente, com um papel fundamental na sua captura, no primeiro grande robalo que pesquei ao spinning, em 2009. Fica um pequeno vídeo que documenta esse momento para sempre especial:


Desta vez com menos adrenalina, mas com a Amizade de sempre e, sobretudo, muito mais água na boca, partilhamos igualmente excelentes momentos!
Ver ao vivo a preparação de um bonito robalo por alguém que domina a arte de bem o cozinhar é tão recompensador como ver um bom espetáculo. No caso, acrescido do facto de no fim do mesmo podermos degustar um verdadeiro manjar dos deuses! :)

Só me resta agradecer ao Mário pela sua presença e da sua Família, bem como a dos meus Amigos Urubu e Cuco e restante Famelga! Foi um fim de tarde/ noite memorável!

Tenho inevitavelmente de realçar a humildade do Chefe Mário que, ao terminar um dos melhores pratos que comi na vida, ainda agradeceu o facto de lhe termos dado a oportunidade de cozinhar aquele peixe. Um pequeno/grande gesto, que deixo ao critério de cada um para adjectivar, mas que me tocou.

Outro sinal de grande simplicidade do Mário foi ter aceite que o prato principal do Jantar de Natal do Hotspot venha a ser concebido pelo "chefe" Cuco. Nesse dia, já na companhia da totalidade dos membros deste blogue, prometo que largarei a câmara e ajudarei o Mário com os meus parcos recursos culinários (mas muita boa vontade) na confecção das entradas e sobremesas!

Até lá, deliciem-se com as imagens deste "aquecimento", com "emplastros", rolhas na testa, sashimi, tempero que consumiu muito vinho e gajos bonitos!


Um abração malta!

PS1- Depois deste jantar ficou mais difícil de voltar a fazer libertações de bons exemplares de robalo, por razões que facilmente constatarão...
PS2 - Agora o Chefão vai voltar às lides de Pescador, nem que não queira!

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Finalmente..

No fim de semana passada o mar estava gordo com condições duvidosas para pescar ao spinning o que desencorajou a malta, ainda por cima depois de um repasto absorvente que consumiu muito líquido e deixou o pessoal ressacado! 
Que belo jantar fizemos nós no sábado... Obrigado Chefe Mário pelo oportunidade de provar da tua cozinha.

No domingo, e como a vontade de pescar era muita, pois o jejum de 4 meses já estava a dar comigo em doido, lá rumei eu sozinho a um pesqueiro nas praias de Gaia, mas rapidamente encontrei o meu par de jornada, o Pedro (Segurança), já nosso conhecido de outras jornadas e fiel seguidor das nossas aventuras.

O mar estava realmente grosso, água tapada, pronto para a tarolada assim eles quisessem. Corria uma aragem tocada a norte com interferência desprezível... toca a lançar as amostras para o líquido!

Lançamento atrás de lançamento, acabo por enganar um peixinho kileiro que com o mar cheio de força mais parecia um tarolo igual aos últimos do Zé Pedro... não era um peixe tão grande mas que bem me soube... já não via escama fazia 4 meses!

Reforçadas as esperanças intensificamos os lançamentos até o cair do dia mas tivemos de nos render à noite com este filho único. 


 

Espero sinceramente poder contribuir com mais peixinho para o Jantar de Natal "RobalosHotSpot", mas o meu filete já está assegurado.

Abraços e pesquem muito!

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

O primeiro grande teste ao Van Staal

O nascer e o pôr-do-sol são, sem sombras de dúvidas, as alturas em que mais gosto de ir pescar mas, na realidade, algumas das melhores capturas que já fiz não coincidiram com este timing...
Acordei eram 09:15h, o que é para mim dormir até bem tarde! Só trabalhava de tarde e tinha toda a manhã à minha disposição, com a esposa a trabalhar e as filhotas na escola. Decidi ir espreitar no ipad as previsões da altura do mar e do vento, o que me fez hesitar em sair de casa, pois não é fácil arrumar um cantinho para pescar com mar de 2 - 3 metros, com vento fraco mas de direcção variável. Como já tinha o fato, a sweat de lycra e o casaco de mergulho numa caixa há uns 15 dias prontos a usar e ainda sem ver água, resolvi sair de casa nas calmas e ir espreitar um spot bom para estas condições.
Pelo caminho liguei aos meus Amigos Cuco e Urubu, ambos na labuta. O Cuco lamentou logo não poder acompanhar-me, com saudades de pescar... O Urubu perguntou-me se ia com fé, ao que respondi que "nem por isso"; avisou-me logo: "assim é que os vais xinar de certeza"! Respondi que, na eventualidade remota de tal acontecer, como tinha perdido a máquina recentemente (levou com uma super vaga enquanto estava pousada numa rocha distante da água e nunca mais a encontrei) se apanhasse um tarolo ia liberta-lo e sem provas multimédia. O Urubu pediu-me que não o fizesse e que guardasse o peixe para o jantar de Natal do Hotspot. Ficou prometido!
Sozinho, como não gosto, lá cheguei ao pesqueiro e ao avistar o estado do mar voltei a hesitar... estava um mar gordo, com um intervalo curto entre vagas! Um mar à Homem, para robalos grandes, mas pouco propício a um pescador solitário. Como nestas lides sou um tipo de pouco juízo lá me fui equipar. Ui! Ou o fato mingou ou... bem, vamos ao mar! :)
Eram 10:50h mais ou menos quando comecei a pescar e o mar metia respeito. A maré vaza era às 11h pelo que se queria molhar o fato não tinha muito tempo para me decidir em avançar mar dentro. Lá fui eu na expectativa de ver se conseguia aguentar uma amostra dentro daquela força bruta. Nos primeiros lançamentos perdi logo uma zagaia, o que me deu vontade de dar logo meia volta. Como as saudades de ali estar eram mais do que a vontade de voltar atrás, fiz um novo terminal e empatei um vinil grande. Adoro pescar nestas circunstâncias: um misto de medo de ali estar, com a adrenalina de imaginar que é assim que costumo engatar grandes robalos! Desta vez com mais um handicap - sozinho...
Toca a soltar o aço para o líquido a fervilhar espuma branca e, ora a salpicar-me o rosto com aquele spray salgado, ora a cobrir-me de cima abaixo e a mover os meus mais de 100Kg como se fosse uma areiazeca! Pouco demorou a sentir a primeira grande tolada, com a linha a sair desenfreadamente do Van Staal que ali fazia a sua segunda pesca! Drag rapidamente esganado e toca a batalhar contra aquela bizarma e contra o mar e corrente seus aliados! São estes momentos que se tornam inesquecíveis na nossa memória e que fazem valer as longas grades. Tentei a todo o custo evitar que o peixe se abeirasse de uma cordilheira de rochas, mas fui incapaz de o fazer; numa onda o peixe passa-lhe por cima e o terminal 0,60 (com cerca de 1,20m) de fluocarbono fica preso nas percebes. Na onda seguinte, com o peixe dentro de água e o terminal preso, tento solta-lo com a ajuda da força da onda, sem sucesso. Esperei apenas por mais uma onda e, ao aperceber-me que assim não ia lá, sem pensar duas vezes mergulhei e fui com o Van Staal submerso agarrar o peixe à mão para depois soltar a linha! Que filme! Que adrenalina! Que inconsciência (eu sei)! Para os nossos Familiares e Amigos que não pescam e mesmo para nós amantes da Pesca, pensando friamente, é um acto estúpido, insensato. Para quem se debate com um peixe destes, ainda por cima naquele cenário, deixa de haver consciência dos riscos quando se avista aquela prata reluzente na ponta da nossa linha! Não nos lembramos da Família, do trabalho, das chatices, de nada... valem os dias passados a imaginar aquele momento, os tempos que passamos a sonhar com as melhores amostras, o melhor comprimento de cana, o carreto mais adequado... Enfim, naquela altura existia eu e um robalo e tudo o resto era paisagem! Sem falsas modéstias, com alguma perícia, coragem e muita sorte, ganhei!
Com o coração a mil e o peixe prometido ao meu Amigo Urubu no saco, decidi fazer apenas mais 3 lançamentos e abandonar o local, cada vez mais perigoso e com a maré já a encher. Ao segundo lançamento, mais uma grande tolada seguida de muitas toladas que me dobraram a cana toda com a embraiagem fechada, a levar o equipamento ao limite! Este era ainda maior e mais enérgico e assim que lhe vejo o lombo a vir à superfície, salto para a rocha mais próxima da água e tento trazê-lo rapidamente até mim. Com a força do mar, o peixe volta a galgar a tal cordilheira, mas desta vez mais próximo de onde me encontrava  e sem linha presa. O mergulho inevitável foi mais curto, menos arriscado e consegui cobrar o tarolo sem grandes dificuldades.


Satisfeito e incrédulo por conseguir dois belos peixes num tão curto espaço de tempo e ainda por cima àquela hora do dia e com um mar bruto, prescindi do terceiro e último lançamento e dei a pesca por terminada. Depois de na estreia sacar um miki pouco maior que a amostra, desta feita foi o primeiro grande teste do Van Staal. Posso dizer que a prova foi superada. Quanto a mim, a única grande desvantagem deste autêntico guindaste é o peso... de resto, espetáculo de máquina!

Caros Amigos, já temos robalos para o arroz do jantar de Natal! ;)

Abração e boas pescas!

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Haveria melhor forma de lhe dar os parabéns?

O fim-de-semana de pesca tinha ficado aquém das expectativas, aliás como todo este ano de 2014... Contudo, ao sair do trabalho lembrei-me de ligar ao King para saber se já tinha partido para Faro. A resposta foi negativa e tratamos logo de marcar hora e local para uma pesquinha. Ainda vinha a conduzir e a trocar mensagens quando numa delas o João me avisa que não ia dar chances pois teria uma prenda de aniversário de 9 Kg! Só aí me lembrei que era dia do seu aniversário! Grande falha! "Ok, ok, só por isso hoje vou deixar-te apanhar um miki ao meu lado!", respondi-lhe eu.
Depois de alguns meses sem ver o meu Amigo, lá nos reencontramos onde mais gostamos, junto ao mar, com um pôr-do-sol fabuloso! Haveria melhor forma de lhe dar os parabéns? Claro que não! 



Para completar o ramalhete, ainda tivemos duas peripécias engraçadas: o João levou 2 ou 3 banhos de cima abaixo (como é costume) mas com a particularidade de ir de fato de treino, sem impermeável (!) e eu perdi uma lente de contacto devido ao vento! Foi assim um cegueta e um tipo cheio de frio a safarem as respectivas grades, numa altura em que o friorento implorava para ir embora!



Foi pena, dadas as circunstâncias, termos de abandonar o spot, pois tenho a certeza que tínhamos dado finalmente com eles, depois de tanta grade e tanta procura por diferentes spots! Os peixes eram pequenos e foram libertados, mas os grandes também lá devem andar... A confirmar numa próxima investida, já sem o aniversariante.
Apesar dos contratempos do nosso dia-a-dia é muito gratificante seguirmos os passos seguros de um Amigo e partilhar com ele o crescimento, os avanços, as conquistas... mesmo à distância!
Fez-me lembrar uma passagem do filme "O bom rebelde" em que um de dois amigos inseparáveis desejava que chegasse o dia em que o outro, que o esperava à porta todos os dias de manhã, um dia não estivesse lá à sua espera como habitual. Isto porque seria sinal que teria arranjado trabalho e estaria melhor, mesmo que isso significasse não ter a sua companhia.
Por isso Amigo King, parabéns e que continue a ver-te de longe a longe mas que os teus estudos e a tua vida te sorriam sempre!

Um abraço!

sábado, 25 de outubro de 2014

Isto começa a animar!



Boas pescas!

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Robalo ao amanhecer

Outubro é dos meus meses favoritos para pescar ao robalo e não começou mal... no nascer do primeiro dia do mês que desgradei logo!
Esperemos que o tempo dê tréguas, que eles andam aí!


Abraço e boas pescas!

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Memórias das férias...

Obrigado Sofia! 

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Em tempos de vale tudo, resta a Consciência!

Cresci (e muito! São quase 2 metros!) a comer Robalos pescados pelo meu Pai no Rio Douro. Ao fundo, à bóia, com isco, com borrachinha de bicicleta chico fininho, grandes, pequenos... Valia tudo e o peixe não faltava!

Cresci e comigo cresceu também o amor pela pesca e, sobretudo, pela pesca do Robalo - o grande predador dos mares da costa Norte! O método foi mudando e actualmente só pesco aos Robalos com iscos artificiais. A mudança é um processo natural, na busca por algo que nos proporciona mais prazer. Ao fim ao cabo, é isso que todos nós buscamos nos nossos diferentes hobbys: momentos de abstração das rotinas do dia-a-dia... paz...contato com a Natureza... No que à pesca dos robalos diz respeito, o prazer vem cada vez mais destes factores, mas também da procura, cada vez mais difícl, dos Robalos. A crescente dificuldade em dar de caras com estes predadores é facilmente justificável pela sua exponencial escassez, documentada por vários estudos científicos. É fácil apontar o dedo aos outros e mantenho a minha convicção profunda de que na costa onde pesco habitualmente as maiores atrocidades são praticadas pelos pescadores profissionais, seja na forma de artes de pesca ilegais, de desrespeito pelas distâncias mínimas em que colocam as mesmas, da quantidade de pescado ou dos tamanhos mínimos das espécies capturadas... Vale tudo! A verdade é que a legislação em vigor é inadequada e, pior que isso, não se faz cumprir! 
Enfim... Em alguns Países discutem-se atualmente leis mais restritivas de captura do pescado, períodos de defeso, preservação das espécies... Cá teremos de começar por nos preocupar em fazer cumprir a (escassa) legislação que temos e, só depois, reformula-la!

Mas então o pescador lúdico não tem responsabilidade e não pode fazer nada para preservar os recursos actualmente existentes? Claro que pode! Antes de mais nada pode e deve manter limpos os spots por onde passa. Lixo, restos de comida, plásticos e, pior ainda, peixe que foi morto depois de pescado e deixado morto no pesqueiro são das piores visões que tenho tido por essa costa fora! Felizmente raros!

Para não ferir susceptibilidades vou apenas falar da minha experiência e de erros meus que tenho tentado corrigir ao longo dos tempos. 
Começando pelos robalos que comia em farinha de pau quando era miúdo, é com alguma felicidade que vejo actualmente o meu Pai a libertar esses peixes pequenos. 
De igual forma e já há mais tempo, pratico pesca sem morte (usando anzóis sem barbela) em águas interiores independentemente do tamanho das capturas.
Outra vertente muito importante da pesca lúdica, nomeadamente da pesca com amostras, é a vertente económica. É possível pescar com equipamentos mais em conta, mas para quem tem o vício à flor da pele e não passa uma semana sem ir salgar o material (como é o meu caso)  é imprescindível um investimento considerável. E, mesmo para um lúdico e amante da pesca, é difícil não querer ver um retorno do investimento feito em forma de peixe capturado, seja para consumo próprio ou mesmo para vender e sentir alguns dos euros gastos a regressar ao bolso. Os tempos de crise nem tudo justificam! Em tempos, vendi 3 robalos depois de partir uma Lesath ao içar um robalo de 4,700Kg que pesquei à superfície. Cheguei a casa contente pelo robalo, mas triste pela perda da cana quase nova em folha e ainda tive de ouvir a minha mulher dizer: "Como vou cozinhar esse robalo tão grande que nem cabe no forno? Vê mas é se o vendes para abater ao preço dessa cana tão cara"! Acabei por vender esse peixe e mais 2 e a sensação foi péssima! Pior fiquei quando o meu Amigo Toninho que me tinha vendido a cana me conseguiu trocar a cana partida por uma nova! Nunca quis nem quero tirar qualquer dividendo da pesca, a não ser o prazer que me dá e que na altura, com a venda dos 3 peixes se perdeu. Coincidência ou não, depois de vender os 3 robalos, passei o maior período da minha vida sem pescar um! Foram quase 6 meses sem ver escama! Prometi que nunca mais, até hoje. Não é nada de que me orgulhe, bem pelo contrário, mas faz parte do meu passado como pescador e aprendi com ele.

Ao fim de muitos anos, na última viagem de pesca que fiz, conheci um senhor chamado Philip Rogers - um grande Pescador Lúdico e uma excelente pessoa com quem talvez tenha passado quase tempo a conversar como a pescar (e chegamos a fazer sessões de 7 horas de spinning da costa!). A determinada altura, depois de mostrar com orgulho algumas fotografias de robalos por mim capturados e de me gabar por libertar os peixes sem medida, fui confrontado com uma pergunta que me deixou muito tempo a pensar nela: "Por que não libertas os grandes também? Esses é que se reproduzem e dão origem a centenas mais todos os anos! De que gostas mais: de os pescar ou de os comer"? A resposta foi imediata: "de os pescar"; mas fiquei a pensar naquilo... E de facto é verdade, eu gosto mesmo é de dar com eles, de os pescar e de guarda-los numa fotografia para sempre! Detesto quando dou com eles e me ganham! Ahahahahahah! Detesto perder peixe! Mas ganhar a batalha, fotografar o troféu e devolvê-lo ao seu meio não reduz em nada o meu prazer, pelo contrário!

O "catch and release", "catch, photograph and release", em Português de Portugal captura, fotografia e libertação não são nada inovadores entre nós. Quando comecei a praticar spinning já muita gente defendia a sua prática, embora mais teóricos do que praticantes ("olha para o que eu digo, não olhes para o que eu faço") mas essa é outra história que não interessa aprofundar... Nunca gostei, nem gosto de fundamentalismos e, por isso, de agora em diante vou fazer os possíveis para libertar todos os robalos que pesque, grandes e pequenos, nas melhores condições possíveis. É o que passarei a fazer de consciência. Sem a pressão de ninguém e sem querer pressionar nem impor nada a ninguém. Passará a ser algo que fará parte e exponenciará o amor que sinto pela pesca e, em particular, pela pesca do Robalo, na esperança que um dia as minhas filhas possam vir a ter o mesmo amor e a oportunidade de ainda haver robalos sem ser de aquacultura! 
Se a minha mudança de comportamento tem dimensão suficiente para ter repercussões positivas no futuro? Quero acreditar que sim! Quanto mais não seja fico de bem com a minha consciência por fazer a minha parte. 
Em tempos de vale tudo, resta a consciência!


Um abraço a todos e boas pescas!

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

FLORES - Agosto 2014

domingo, 24 de agosto de 2014

Muito mais do que apanhar peixe

Mesmo sem toque de peixe, foi uma experiência para recordar e, se possível, repetir, a investida que eu e o João fizemos com o nosso Amigo Cláudio Morais (http://pescaemviana.blogspot.pt/).
Pescar é muito mais do que apanhar peixe e são estes momentos que o confirmam:


Foi um privilégio Cláudio, mas para a próxima não precisas de fazer tanta cerimónia e podes apresentar-te sem fato e gravata à chegada! Ahahahahahahah!


Um grande abraço, foi um prazer, apesar da chuvinha com fartura e da natação gelada!

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Família, Amigos e Pesca...

Família, Amigos e Pesca... o que pode um comum mortal desejar mais?
Só se for um peixito da medida para escalar durante as férias...


Mais uma grande defesa do Zé Beto! 
O peixe apesar de pequeno vinha cravado com as 3 fateixas: no rabo, no corpo e na cabeça!
Enganou bem, pois parecia maior...

Rapidamente me habituava a esta boa vida...

Boas Férias!

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Quero FÉRIAS!

As férias estão à porta mas os últimos dias de trabalho parecem infindáveis. Há que tapar turnos dos outros para que depois também nos tapem os nossos. Com isto, o tempo é neste momento muito escasso para pescar, mas lá deu para uma investida rápida para matar o vício e quebrar a grade.


Já não foi mau...
Quero FÉRIAS!

terça-feira, 29 de julho de 2014

Robalos Gémeos

Desta vez combinei com o meu grande amigo Prof. Cuco ir fazer uma nocturna, já que a maré fazia jeito à noite. À hora combinada, encontramo-nos na beach para tentar apanhar mais um peixinho e lá fomos mandar o aço. 
Já com muitos lançamentos para o líquido o peixe parecia não colaborar... entretanto apareceu o nosso amigo mestre Valadas a fazer companhia e nada. Exploramos bem o spot, com amostras rígidas e gomas e eu a tentar a sorte com o passeante - nunca apanhei um peixe de noite com o passeante, mas acho que eles também se atiraram de noite... digo eu!!!! 
Entretanto o meu amigo Valadas meteu pés ao caminho e foi, desanimado, embora. Convenci o Sérgio a ir a outro spot onde já fui feliz e uns minutos depois ouço o Sérgio a assobiar e a dizer que engatou um peixe que infelizmente abriu a boca... fui logo para ao lado do meu amigo ao cheiro :).  Foi precisamente lá que, já quase às 24h, pus a seco o primeiro peixe. Dizia o Cuco: "bom peixe amigo, bom peixe"! Enquanto o desferrava o Cuco estava com a fezada toda e logo no próximo lançamento engatei o irmão gémeo do peixe já no saco! Mais uma boa luta que deu e aos meus pés a amostra saltou da bouche! O Prof. Cuco, sem reacção para meter a mão ao peixe, pasmou-se ao ver o Zé Beto dos robalos a pousar a cana e, em pleno voo, a agarrar à 2ª tentativa mais um bom peixe!
Como já estava tarde, eu e o Sérgio pensamos em pôr pés ao caminho, o que acabou por acontecer assim que demos guilhada - foi o ponto de partida para encerrar a faina. Foi com pena minha que o Sérgio não conseguiu tirar o dele, mas a pesca é mesmo assim, um dia do pescador outro dia do peixe. 
Fica a foto com dedicatória ao King Petas que já andava há muito a pedir uma foto em forma de T... Bai buscarrrrrrrrrr!!!!!


Abraço e boas pescas!

domingo, 27 de julho de 2014

O dia que faz toda a espera valer a pena

Há muito tempo que não pescava um robalo. Há muito mais tempo do que gostava. Não por falta de insistência, longe disso, mas não é quando queremos… é quando eles lá andam e se deixam enganar. 
No dia anterior, tinha tido 3 peixes presos na amostra e soltaram-se os 3; um deles era um grande exemplar, mas sabe quem me conhece que perder mesmo os mais pequenos me deixa pior que estragado. Contudo, esse  é para mim o grande atractivo da pesca: não é por não ter pescado nada ontem, anteontem, no último mês (como era o meu caso) que não se apanhará nada amanhã! O inverso também está certo: a grande pesca de hoje não me garante voltar a pescar no futuro! Cada jornada junto ao mar, para além de todo o prazer e paz que me proporciona,  é mais um passo numa  aprendizagem constante. Mais do que o aperfeiçoamento de técnicas, o refinar do conhecimento acerca da interpretação do mar com todas as suas condicionantes,  tenho aprendido a ser paciente... a esperar... e a insistir.
Hoje foi dos dias que faz toda a espera valer a pena. Foi uma longa espera, cerca de 7 meses desde o último tarolo (o meu maior de sempre), com apenas uns 10 peixes e muitas grades acumuladas! Rara foi a semana que não fui pescar, mas o tal peixe teimava em não comparecer à chamada… até hoje.
O meu Amigo Urubu tem andado a dar neles nas últimas semanas e a tentação de embarcar na toada era grande. Na última semana acompanhei-o uma vez e, como é costume, nem eu nem ele sentimos escama… Nunca apanhei um peixe das vezes que “fui ao cheiro”! Por isso, costumo dizer-lhe que mais vale eu não ir e ele continuar a malhar-lhes certinho. Fico feliz por ele. Resolvi ir com o meu Compadre Cuco a outras bandas tentar a nossa sorte e à última da hora até tentei mudar de spot, mas o Cuco insistiu na nossa primeira opção, ainda bem.
Chegados ao local, perguntei ao Cuco por uma Tide Minnow que lhe tinha dado num aniversário e porque é que nunca a usava. Ele respondeu que nunca tinha tirado um peixe com ela e eu que tinha fé que ia ser hoje. Foi por isso a primeira opção a ir para a água e a dar a primeira alegria do dia – um robalo com a medida, mas que o Sérgio acabou por libertar.
Ao chegar ao virar da maré, com o mar bonito mas com força, resolvi ir ao fundo do baú das amostras e apostar numa das que uso menos (tal como a TM do Cuco) – uma Lucky Craft com uns 3 anos e que até à data tinha engatado um miki…  Foi, uma vez mais, uma mal amada a dar alegria! E que alegria! Depois de uma pancada a sério e uma primeira corrida musculada que me fez logo avisar o Cuco que se tratava de um bom bicho, vejo a caudona a vir bater à superfície e a fazer o meu coração disparar! Com muito cuidado para não voltar a perder um peixe, ainda por cima daquele calibre, e com a ajuda preciosa do Sérgio, lá lho meti na mão. Fiz logo uma grande festarola pois sinceramente não contava apanhar um tarolo daqueles com o sol ao alto às 16:30h! Enquanto guardava o peixe, já o Cuco tinha outro na linha, mais pequeno mas lutador, que depois de cobrado seria também libertado.
Depois de tanta grade, o dia estava mais que ganho e começamos a fazer o caminho de regresso até ao carro, com apenas uma paragem num spot já meio seco. Mudei a tática para a superfície, que muitos frutos tem dado ultimamente, mas onde ainda não me estreara este ano com robalos. Com o único passeante que levava na sacola, um Patchinko azul que no dia anterior tinha tido um tarolo preso por segundos, senti o segundo disparar do coração mal vi o reboliço à superfície do ataque! Lindo! Desta feita lindo e eficaz, com as duas fateixas dentro da boca e bem cravado! Aliás, como já tinha vindo o primeiro, com a LC engolida completamente! Assim seria difícil perdê-lo.


Como disse no início deste relato, a boa pesca de hoje não garante a de amanhã e não foi preciso esperar um dia para comprova-lo: instantes depois voltei a ferrar um miki à superfície, que após duas ou três maniveladas e um salto artístico no ar se pôs ao fresco…
A pesca é assim… e é esta incerteza que a torna apaixonante!

Estou ansioso pelo próximo dia de pesca! Será mais uma grade? Ou haverá mais adrenalina com escamas? Será certamente mais um dia de relax e a fazer uma das coisas que mais prazer me dá e com a fé renovada, preparado para mais uns meses de grades… ou talvez não!


quinta-feira, 24 de julho de 2014

Horta (Faial) - Julho de 2014



Abraço!

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Hat- Trick

Olá a todos, com o Zé Pedro regressado dos Açores, liguei ao artista para me fazer companhia, mas a vontade era pouca - estava cansado de apanhar peixes burros e de comer e beber como gente grande! Ahahahahahahah! Acabou por não vir pescar com o amigo e mais uma vez eu avisei-o: "não venhas não que depois já sabes o que a casa gasta". 
Lá acabei por combinar com os meus amigos Manuel " Mãos frias" e o Tiago à hora combinada num certo sitio :). Cheguei ao pesqueiro e os artistas ainda não tinham chegado. Dirigi-me para o spot ainda de noite e desta vez experimentei com a saltiga, mas sem sucesso. Assim que entrou o dia mudei para uma amostra de superfície e após meia dúzia de lançamentos lá enganei o 1º do dia. Estava eu a meter o peixe no saco, aparece o Manel e disse-lhe eu:  "não venhas não que eles andem aí"!...entretanto chega o Tiago e toca a mandar as amostras para o liquido. O Manel enganou também 1 peixe e eu lá consegui enganar mais 2. Foi o Hat-Trick!




sábado, 19 de julho de 2014

POKER NOS ROBALOS

Mais uma vez e com toda vontade de voltar a dar com eles, combinei com Manel e o Valadas Júnior no spot e começamos a pescar com as rapalas, mas o peixe não queria nada! Estava eu com o Manel na letra, e não sei como olhei no horizonte e pareceu-me ver "manobra" (actividade de peixe à superficie). Mudei para o saltão e puxei a varada o mais longe possível, mas não chegou lá aonde eu os vi... assim que estiquei a linha e dei 3 ou 4 maniveladas, zasssssssssssss! Aí está o animal a puxar cheio de vontade! Estava eu a trabalhar o peixe e o Manel parou de pescar para me ajudar e disse-lhe para continuar a pescar que não era preciso, que eu conseguia desenrascar-me... Assim que apanhei o peixe, uns metros ao lado, dirigi-me ao spot e já o meu colega estava com o segundo engatado - mete para o saco! O Valadas que estava mais a sul do spot, veio ter connosco o mais depressa possível e logo no 1º lançamento dele à chegada ,com a saltiga, zasssssssssss, engata mais 1 que a meio da viagem desferrou :(. Logo de seguida engatei o meu 2º peixe e toca a levantar para vir para dentro do saco! Ahahahahaha! Entretanto o Valadas lá engatou o dele e a malta cheia de adrenalina para aproveitar enquanto eles estavam lá, toca a mandar os passeantes para o liquido. O peixe parece que já tinha sumido, foi comedoria que entrou naquele espaço de tempo e depois nem mais toque. Continuamos a insistir e passado uma meia hora lá engatei o 3º da manhã, estava com a mão certinha e toca aproveitar para tirar a barriga de misérias :). Entretanto o spot começou a ficar sem água e começamos a desmotivar, para mim a minha pesca já estava feita e até parei de pescar e fiquei a fumar um cigarro na letra com a malta. O Valadas disse que ia a outro spot e incentivou-me a lá ir com ele. Assim que lá cheguei reparei que o meu chicote estava um pouco roçado da pedra e fiquei na areia a  fazer um novo chicote com toda a calma do mundo. Pouco tempo depois, estou a ouvir o Valadas assobiar do cimo das rochas, já com um peixe engatado.  Logo que me juntei a ele, zassssssssss, engatei o 4º este já mais pequeno, mas mesmo assim a puxar como um animal!... O peixe era com cada arranque, muito bravo mesmo a loucura! E assim foi mais uma manhã cheia de adrenalina.


Abraço e boas pescas.

PS- Aproveitamos para deixar publicamente os parabéns da malta do "Hotspot" ao Pedro (Segurança) por ter batido nestes dias o seu recorde pessoal com um belo barrote a rondar os 4 kg, depois de perder outro animal! Abração!

sexta-feira, 18 de julho de 2014

1º do Ano ao "Salton Salton"

Boas!
Este ano parece que o peixe anda mesmo fugido e como o peixe é pouco ando com pouca vontade de acordar cedo. O mar nesse fim de semana até ia estar bom para fazer uns lançamentos com os passeantes e lá meti o despertador para acordar às 04:15h... Cheguei à praia por volta das 05h e ainda estava noite cerrada. Fumei um cigarrinho a fazer horas e assim que o dia começou a querer abrir lá meti o meu saltão preferido. Logo após os primeiros lançamentos, engatei um peixe! Infelizmente nem vi o ataque que tanto gosto de ver! Assim que começou a ficar dia, nem mais escama; nem com rapalas, boião de água ou vinis... Já foi bom para voltar a  ter vontade de me levantar cedo com "PIKA" de ir dar com eles. 
Fica a foto da praxe.


Um abraço a todos e boas pescas!

domingo, 1 de junho de 2014

Chegar, ver e...

...PICA (x2)!
Este João não dá hipótese! Mal chega ao Norte é sempre sagradinho!
Não há makumba que lhe pegue!



Grande King!

terça-feira, 20 de maio de 2014

Da fonte ao consumidor

Este ano é um ano muito pobre de robalos! Talvez o mais pobre de que me lembro! Também por isso a nossa insistência seja das mais fracas de sempre... não há grande motivação a não ser a de estar perto do mar com os Amigos do costume.
Depois de largos dias sem pescar fui com o Urubu fazer um spinning noturno, embora o verdadeiro mote tenha sido a esperança de apanhar umas navalheiras durante a vazante e investir posteriormente de vara na mão no virar da maré.
O resultado final nem foi mau para os dias que correm. O Rui mostrou grande destreza a apanhar navalheiras: de lanterna na boca, rede numa mão e bicheiro na outra, foi um espetáculo digno de ver - o bicheiro encaminhava as navalheiras para a rede imóvel e zás! Eu apenas as metia no SACO! 
No fim da noite ainda consegui desgradar com um robalote da medida...


As capturas efectuadas serviram de autênticos pitéus no dia seguinte. Mais fresquinhas era impossível! Foram diretamente do mar para o prato, da fonte ao consumidor! Maravilha!



A vontade de lá voltar até cresceu, quanto mais não seja pelas navalheiras!
Até breve! Saúde!

domingo, 20 de abril de 2014

Lobos de Abril

Depois de ter regressado do Algarve, ter reencontrado a malta e ter feito umas pesquinhas, havia ainda um amargo de boca porque com condições excelentes o peixe teimava em não comparecer.
No dia anterior, com o mar a trabalhar como manda a "sapatilha", o Zé Pedro tinha livrado a grade com um robalo da medida,e eu ao cair do pano livrei a grade com o meu maior exemplar de sempre. eheheheheh Nunca tinha apanhado um robalo tão pequeno ao spinning, nem cabia na mão e atacou um vinil de 14cm com tamanha voracidade.

No dia seguinte, já com as esperanças em baixo, recebo uma chamada do Urubu a perguntar se ia pescar, porque a temperatura da água do mar estava quase nos 19º. Estava desanimado porque o mar acalmou e a fezada não era muita, mas 19º é uma temperatura excelente para pescar à superfície, mesmo com o mar calmo.

18h, pego na bicicleta e siga para o pesqueiro, às 18:30 já estava a dar umas braçadas para chegar ao spot. As condições não animavam, mas os passeantes já estavam a "trabalhar".... Animações lentas, rápidas, super rápidas, vinis, e nem escama!!! Decido colocar uma amostra de 17cm, e ao primeiro lançamento sinto uma prisão, ferro e tzzzzzzzzzzzzzzz já cá estava o primeiro a chamar por mim.
Deu uma trabalheira dos diabos, por ser um pesqueiro difícil e estar sozinho, mas com calma já estava a seco.Um lindo macho de 3,3kg, esguio e belo,  que depois de ser capturado e num último esforço libertou o seu líquido seminal.Quando me preparo para desferrar o peixe, reparo que tenho 2 fateixas abertas..... Sem forçar o peixe, fateixas que custam quase 6euros a caixa !!!!!! Ainda insisti com uma amostra similar, mas nem toque. Já com o dia posto, e no lusco fusco decido colocar um vinil maior e sondar os buracos. Não foi preciso esperar muito, ao 2 ou 3º lançamento sinto uma pancada que me deixa incrédulo, ferro e tzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz as cabeçadas sucedem-se, firmes e vigorosas, seguidas de um arranque para o fundo!!!! Nunca um peixe me tinha "controlado" daquela maneira, posso dizer que fiquei a conhecer aquele fundo, PEDRA por PEDRA..... Sentia as pedras todas à medida que o peixe avançava. Impotente mas confiante porque tinha um terminal forte, bom e comprido para fazer jus à cana de 3,60m.

Quando finalmente vislumbro aquele lombo à superfície, os olhos arregalam-se, TRAVE máxima e num pesqueiro daqueles, tinha de escolher bem o timing para o içar. Consigo trazer o peixe mas fiquei uns largos segundos a olhar para ele, sem conseguir fazer nada, sozinho e num pesqueiro alto..... À espera de uma onda, naquele lago chamado Mar!
Quando finalmente se faz uma onda maior, consigo colocar a seco.... Ainda fiquei uns minutos a olhar para o animal, um verdadeiro monstro que me fez questionar se seria ou não um novo record. Posteriormente verifiquei que não, mas andava lá perto.Não direi o peso para não alimentar conversas de café, mas teve uma luta digna de um verdadeiro Lobo e é por embates como estes que qualquer pescador desportivo arranca para cada dia de pesca.



Apesar das condições ideais se estarem agora a reunir, já estava satisfeito e de sorriso de orelha a orelha abandonei o pesqueiro.
As chamadas da praxe para os Amigos a contar o sucedido, e a dar um novo alento para as próximas jornadas de pesca, sem dúvida já com um novo ânimo.

Abração a todos!

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Prémio perícia

Aproveitando os últimos dias de bom tempo e o facto de o João estar de férias, lá nos fizemos ao mar para tentar a nossa sorte.
Com o mar choco, pouco entusiasmante para grandes capturas, limitamos a nossa pesca aos últimos minutos de luz... tal como esperavamos, as capturas não foram nada de especial. Eu fui o primeiro a livrar a grade e ainda por cima com o ferro num mar que só mexia num spot!


Já quase a dar a pesca por terminada e com o João ainda a querer ir a um spot mais distante, insisti para que terminassemos ali ao lado, em vez de irmos dar corda às sapatilhas. E foi ali mesmo que o João conquistou o "Prémio perícia" ao engatar um mini micro miki pouco maior que o vinil! Ahahahahah!


Na realidade, dias depois, a verdadeira perícia vir-se-ia a revelar, no tal spot onde o King tinha fé e desta feita acabamos por não ir... mas isso são outras águas...

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Juntos de novo, finalmente!

Por muitas voltas que a vida dê é sempre assim que acabamos, a pescar juntos!
O resto é letra...


Eu, o Cuco, o Urubu e o King lá nos reunimos de novo para ir à pesca. Na primeira ronda só o grande Urubu safou a grade, para não variar muito das últimas tendências gradeiras, mas isso foi obviamente o menos importante. Foi um pôr-do-sol como nos bons velhos tempos, todos juntos!


Para o Urubu não se ficar a rir, e sem a presença do Cuco por motivos de força maior, no dia seguinte foi a minha vez e do King de desgradar. Desta vez, ambos os peixes foram enganados à superfície pelo que, apesar de pequenos, já deram outra adrenalina!



Estamos juntos de novo, finalmente!
Serão poucos dias, mas certamente bem aproveitados e com mais para contar, com certeza!




quarta-feira, 9 de abril de 2014

Vem, não tenhas medo!

Desde que o nosso Amigo King Petas foi estudar para a Universidade do Algarve, as nossas pescarias têm sido fracotas... O ano tem sido agreste em termos climatéricos, mas este é de longe o nosso pior ano de capturas! O sui generis da situação é que o nosso Amigo João relembra-nos constantemente que nos fez uma "cruz", uma "makumba longa vida"! 
Não é que sejamos supersticiosos, mas "que las hay, las hay"! Ahahahahah!
Ele está quase a regressar de férias e poderemos finalmente retribuir-lhe com "fortes abraços"! King, vem, não tenhas medo!


Para já, fica apenas um videozinho do aquecimento...

Aquele abraço! :)

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Pesca nocturna

Depois de umas capturas interessantes eu, o Zé Pedro e o Urubu estávamos com as fezadas reforçadas! Combinamos uma investida ao mar, mas a maré só nos era favorável por volta das 23h! A necessidade de pesca era tanta que lá nos encontramos por volta das 22h. O mar estava de feição mas o vento soprava leve de Nordeste uma brisa fria desagradável e que nada ajudava a lançar as amostras para o líquido. Acabados de chegar e logo nos lançamentos iniciais saco um peixinho da medida que logo entusiasmou os presentes!


Contudo e apesar dos lançamentos sucessivos, trocas incansáveis de amostras e vários spots experimentados, foi filho único o peixinho da medida pescado. Terminamos a noite, como nos bons velhos tempos de estudantes, em frente a uma roulot, a comer umas bifanas regadas por umas leveduras. Tudo do melhor, com amigos a acompanhar!



Abraço!

segunda-feira, 24 de março de 2014

A paixão das Trutas

A seguir a uma pesca noturna no mar, com direito a natação e um robalo do Cuco, que terminou numa roulote a comer bifanas e a beber umas cervejolas às 2 da matina, o que fazer? Descansar o esqueleto umas escassas horas e ir à paixão das trutas!


Na companhia do Cotinha, foi mais uma manhã bem passada, desta vez com poucas trutas "entocadas" e uma valente coça! Ahahahahah!


Terminou com uma grande almoçarada e uma boa soneca a caminho de casa!


Um abraço e boas pescas! Divirtam-se!

sexta-feira, 21 de março de 2014

Os primeiros do ano... e o Hotspot volta a aquecer!

Depois do sábado intenso dedicado ao spining e truta, sem resultados práticos para mim e Zé Pedro, dedicamo-nos cada um de nós aos pesqueiros próximos de casa. Desta vez registamos as primeiras capturas neste mal fadado ano 2014... primeira semana de tréguas após meses seguidos de chuva, ventos fortes e agitação marítima.

O primeiro mijão a estrear-se em 2014

Um bom robalo que originou a primeira grande toada do ano!

Esperemos que as condições meteorológicas e marítimas o permitam pois nós vamos andar por aí a continuar a tentar a nossa sorte. Regresso saboroso o nosso depois de tão largos meses sem pescas nem relatos! 



O Urubu foi, até agora o último a estrear-se, mas valeu a demora! Sozinho e sem ir ao cheiro da toada...
E o Hotspot volta a aquecer!

Venham (os dois) cá ao Pai!

Até breve, boas pescas!