domingo, 20 de abril de 2014

Lobos de Abril

Depois de ter regressado do Algarve, ter reencontrado a malta e ter feito umas pesquinhas, havia ainda um amargo de boca porque com condições excelentes o peixe teimava em não comparecer.
No dia anterior, com o mar a trabalhar como manda a "sapatilha", o Zé Pedro tinha livrado a grade com um robalo da medida,e eu ao cair do pano livrei a grade com o meu maior exemplar de sempre. eheheheheh Nunca tinha apanhado um robalo tão pequeno ao spinning, nem cabia na mão e atacou um vinil de 14cm com tamanha voracidade.

No dia seguinte, já com as esperanças em baixo, recebo uma chamada do Urubu a perguntar se ia pescar, porque a temperatura da água do mar estava quase nos 19º. Estava desanimado porque o mar acalmou e a fezada não era muita, mas 19º é uma temperatura excelente para pescar à superfície, mesmo com o mar calmo.

18h, pego na bicicleta e siga para o pesqueiro, às 18:30 já estava a dar umas braçadas para chegar ao spot. As condições não animavam, mas os passeantes já estavam a "trabalhar".... Animações lentas, rápidas, super rápidas, vinis, e nem escama!!! Decido colocar uma amostra de 17cm, e ao primeiro lançamento sinto uma prisão, ferro e tzzzzzzzzzzzzzzz já cá estava o primeiro a chamar por mim.
Deu uma trabalheira dos diabos, por ser um pesqueiro difícil e estar sozinho, mas com calma já estava a seco.Um lindo macho de 3,3kg, esguio e belo,  que depois de ser capturado e num último esforço libertou o seu líquido seminal.Quando me preparo para desferrar o peixe, reparo que tenho 2 fateixas abertas..... Sem forçar o peixe, fateixas que custam quase 6euros a caixa !!!!!! Ainda insisti com uma amostra similar, mas nem toque. Já com o dia posto, e no lusco fusco decido colocar um vinil maior e sondar os buracos. Não foi preciso esperar muito, ao 2 ou 3º lançamento sinto uma pancada que me deixa incrédulo, ferro e tzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz as cabeçadas sucedem-se, firmes e vigorosas, seguidas de um arranque para o fundo!!!! Nunca um peixe me tinha "controlado" daquela maneira, posso dizer que fiquei a conhecer aquele fundo, PEDRA por PEDRA..... Sentia as pedras todas à medida que o peixe avançava. Impotente mas confiante porque tinha um terminal forte, bom e comprido para fazer jus à cana de 3,60m.

Quando finalmente vislumbro aquele lombo à superfície, os olhos arregalam-se, TRAVE máxima e num pesqueiro daqueles, tinha de escolher bem o timing para o içar. Consigo trazer o peixe mas fiquei uns largos segundos a olhar para ele, sem conseguir fazer nada, sozinho e num pesqueiro alto..... À espera de uma onda, naquele lago chamado Mar!
Quando finalmente se faz uma onda maior, consigo colocar a seco.... Ainda fiquei uns minutos a olhar para o animal, um verdadeiro monstro que me fez questionar se seria ou não um novo record. Posteriormente verifiquei que não, mas andava lá perto.Não direi o peso para não alimentar conversas de café, mas teve uma luta digna de um verdadeiro Lobo e é por embates como estes que qualquer pescador desportivo arranca para cada dia de pesca.



Apesar das condições ideais se estarem agora a reunir, já estava satisfeito e de sorriso de orelha a orelha abandonei o pesqueiro.
As chamadas da praxe para os Amigos a contar o sucedido, e a dar um novo alento para as próximas jornadas de pesca, sem dúvida já com um novo ânimo.

Abração a todos!

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Prémio perícia

Aproveitando os últimos dias de bom tempo e o facto de o João estar de férias, lá nos fizemos ao mar para tentar a nossa sorte.
Com o mar choco, pouco entusiasmante para grandes capturas, limitamos a nossa pesca aos últimos minutos de luz... tal como esperavamos, as capturas não foram nada de especial. Eu fui o primeiro a livrar a grade e ainda por cima com o ferro num mar que só mexia num spot!


Já quase a dar a pesca por terminada e com o João ainda a querer ir a um spot mais distante, insisti para que terminassemos ali ao lado, em vez de irmos dar corda às sapatilhas. E foi ali mesmo que o João conquistou o "Prémio perícia" ao engatar um mini micro miki pouco maior que o vinil! Ahahahahah!


Na realidade, dias depois, a verdadeira perícia vir-se-ia a revelar, no tal spot onde o King tinha fé e desta feita acabamos por não ir... mas isso são outras águas...

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Juntos de novo, finalmente!

Por muitas voltas que a vida dê é sempre assim que acabamos, a pescar juntos!
O resto é letra...


Eu, o Cuco, o Urubu e o King lá nos reunimos de novo para ir à pesca. Na primeira ronda só o grande Urubu safou a grade, para não variar muito das últimas tendências gradeiras, mas isso foi obviamente o menos importante. Foi um pôr-do-sol como nos bons velhos tempos, todos juntos!


Para o Urubu não se ficar a rir, e sem a presença do Cuco por motivos de força maior, no dia seguinte foi a minha vez e do King de desgradar. Desta vez, ambos os peixes foram enganados à superfície pelo que, apesar de pequenos, já deram outra adrenalina!



Estamos juntos de novo, finalmente!
Serão poucos dias, mas certamente bem aproveitados e com mais para contar, com certeza!




quarta-feira, 9 de abril de 2014

Vem, não tenhas medo!

Desde que o nosso Amigo King Petas foi estudar para a Universidade do Algarve, as nossas pescarias têm sido fracotas... O ano tem sido agreste em termos climatéricos, mas este é de longe o nosso pior ano de capturas! O sui generis da situação é que o nosso Amigo João relembra-nos constantemente que nos fez uma "cruz", uma "makumba longa vida"! 
Não é que sejamos supersticiosos, mas "que las hay, las hay"! Ahahahahah!
Ele está quase a regressar de férias e poderemos finalmente retribuir-lhe com "fortes abraços"! King, vem, não tenhas medo!


Para já, fica apenas um videozinho do aquecimento...

Aquele abraço! :)

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Pesca nocturna

Depois de umas capturas interessantes eu, o Zé Pedro e o Urubu estávamos com as fezadas reforçadas! Combinamos uma investida ao mar, mas a maré só nos era favorável por volta das 23h! A necessidade de pesca era tanta que lá nos encontramos por volta das 22h. O mar estava de feição mas o vento soprava leve de Nordeste uma brisa fria desagradável e que nada ajudava a lançar as amostras para o líquido. Acabados de chegar e logo nos lançamentos iniciais saco um peixinho da medida que logo entusiasmou os presentes!


Contudo e apesar dos lançamentos sucessivos, trocas incansáveis de amostras e vários spots experimentados, foi filho único o peixinho da medida pescado. Terminamos a noite, como nos bons velhos tempos de estudantes, em frente a uma roulot, a comer umas bifanas regadas por umas leveduras. Tudo do melhor, com amigos a acompanhar!



Abraço!