quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Último dia de bom tempo?

Foi no dia 22 deste mês que nos fizemos ao mar na esperança de reencontrar os tão famosos "lareiros" (gorazes grandes). Tudo estava de feição, pois o dia parecia primaveril. Enquanto o Sol espreitava tímido no horizonte, já o motor de 175Cv do nosso Amigo Barros roncava a toda a força e fazia a nossa embarcação voar sobre um mar calmo e estanhado.


O vôo nestas condições foi muito rápido e em menos de uma hora chegamos ao pesqueiro, sem turbulências. Já lá estava o Comandante do Negrão, o Luís Lareiro e o Urubu, numa outra embarcação. Ao chegarmos, acenavam com bons gorazes acabados de pescar. Se já íamos com vontade, com mais ficamos!


Pescamos toda a manhã e início de tarde, debaixo de um sol agradável que por períodos se ia escondendo nas nuvens, mas sempre com uma temperatura amena que ainda me permitiu uma boa soneca na proa do barco num período em que a actividade do peixe diminuiu.
Como é habitual reinou a boa disposição, desta vez com a interactividade entre os dois barcos fundeados lado a lado. O que já não é tão habitual é a presença de pequenas aves (migratórias?) que vêm pousar no nosso barco e em nós! Pareciam aves domésticas! Provavelmente a aproveitar o último dia de bom tempo antes da tempestade, tal como nós...

No final, a pesca também foi muito razoável, com capturas de bons pargos, gorazes, carapaus, fanecas, sargos, choupas e congros.


Terá sido o último dia de bom tempo? Provavelmente! Mas não foi a última boa pescaria deste ano com certeza!

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Radical até partir!

Desde que a minha segunda filha nasceu, faz pouco mais de um mês, as minhas noites são feitas de sonos intermitentes. Nada que não esteja habituado, ou não trabalhasse pelo menos uma vez por semana de noite. Hoje acordei com ela pouco antes das 7 da manhã, olhei pela janela e ainda estava escuro e resolvi aproveitar o acordar precoce e fui pescar.
Não gosto nada de ir sozinho, mas àquela hora não ia telefonar a ninguém!

Chegado ao local, em plena alvorada, o cenário era o ideal: conjugação de bom tempo, ausência de vento, mar a trabalhar certinho e a água com uma cor brutal cheia de espuma e esverdeada. Após uns 20 minutos sinto o primeiro ataque numa Angelkiss; um ataque franco, convicto e diferente para muito melhor dos (poucos) que tenho tido nos últimos meses! A melodia há muito não escutada do drag alegrou os meus ouvidos!
Posto a seco em pouco tempo, foi fotografado e filmado com dedicatória.


A manhã estava mais do que ganha e o sol erguia-se no horizonte, projectando a minha sombra sobre a água. Como não gosto que isso aconteça, preparava-me para ir para casa quando me lembrei dos meus amigos Varadas e Urubu dizerem que mesmo em Outubro o peixe atira-se ao passeante. Já há dois dias tinha experimentado sem qualquer resultado, mas a maré aproximava-se do fim e as pedras estavam cada vez mais descarnadas. O meu amigo King na última jornada de pesca tinha ali perdido uma amostra e eu sabia que o local era baixo. Foi dito e feito - Hidro Pencil bege na água! Vários lançamentos nesse local baixo e nada. Depois de umas 20 ou 30 passagens, resolvi lançar o passeante no local onde tinha engatado o primeiro robalo, um local bastante mais fundo. A cerca de 5 metros de mim vejo um peixe a perseguir a amostra que a ataca ao de leve e falha. Pensei cá para mim: "mais um miki maluco!". Parei o passeante e zás! Com o drag quase fechado ao máximo apercebi-me que ou o abria ou o "miki" rebentava tudo! Mal o abri, foram logo uns metros valentes de linha, sempre em direção ao fundo e para fora! Cabeçadas fortíssimas e passeante nem vê-lo nos 10 minutos que se seguiram! Que saudades destas emoções! Há quanto tempo não sentia um destes! Ao fim de uns minutos espetaculares vislumbro pela primeira vez a cabeça da fera - um cabeção com uma linha a entrar na boca e amostra nem vê-la! Fiquei ainda mais em êxtase! Abeiro o peixe, meto-me quase dentro de água e aproveito uma onda para o tentar pôr a seco. O peixe sobe para uma rocha com declive, pára por instantes e volta para dentro de água na escoa! Ai o que eu dava para ali ter um Amigo! Repetiu-se o mesmo 2 vezes e à terceira, a minha Lesath Power Game parte em 5 partes! Estava a ser uma pesca radical, até ela partir! Com muitos palavrões pelo meio, pois quando a cana partiu deixei por instantes de ter a linha tensa e pensei que o peixe tinha fugido, estiquei a linha e ele ainda lá estava. Trago-o com dificuldade à superfície e vejo que o Hidro Pencil já está fora da boca, só com 2 anzóis de uma das fateixas cravados! Mais 40 asneiras e a lembrança de uma bicuda enorme que me fugiu no ano passado nos Açores quando a tentei levantar pela linha para não partir a cana. Isso não podia voltar a fazer! Fechei o drag , corriquei o máximo de linha que consegui com os elementos soltos e carreguei a minha última esperança numa vaga! O animal estava a seco!






Estes peixes são dedicados ao Rei João (que eu muito gostava e bem merecia ter la estado), ao Urubu, ao meu Cotinha e claro - à mais jovem menina do clã Cruz que fez o favor de me acordar, bem como à sua mana mais velha que me tinha escondido a chave do carro que me vi grego para a encontrar antes de ir pescar!


segunda-feira, 10 de outubro de 2011

O mesmo prazer de sempre, mas com menos escamas

Este ano não temos sido muito felizes na pesca ao robalo. É, sem dúvida, um ano fraco quer em quantidade e qualidade. São poucos e, tirando uma ou outra excepção, pequenos.
Nos tempos de fartura, damo-nos ao luxo de não fazer relatos dos "mikis". Nos dias que correm até um mikizinho tem direito a um lugar de destaque no "Hotspot"! Como isto vai mal!
O que nos vale é que mesmo com estes pequenotes, cresce-nos a esperança que os parentes mais velhos os acompanhem e caiam na nossa armadilha mais dia menos dia. Alimentam-nos a fé e avivam memórias de lutas inesquecíveis que desejamos voltar a viver...

Ontem assim foi. Mais um fim de dia de Outubro com calor de Verão. Depois de um dia de trabalho, de calção e água pela cinta lá fui com o meu Amigo Rei João alimentar a crença na despedida do sol.


Um pequeno robalo, encheu de vida a ponteira da minha cana e de êxtase o meu amigo João quando a viu abanar! O prazer foi o de sempre, sejam grandes ou pequenos...


Eles andam aí... e os grandes já não devem andar longe... resta prová-lo!

Urubu com 2 robalos de mais de 8kg!

O sol ia já bem alto quando me encontrei com o meu Pai e com o Urubu em Gaia. Tomamos o pequeno-almoço, conversamos um pouco e lá fomos nós.
Ao contrário do que vem sendo habitual neste fraco ano de robalos, o Urubu deu de caras com 2 animais de respeito, ambos com cabedal acima de 8Kg!



Uma oportunidade cada vez mais rara, especialmente nos dias que correm... será que só assim os vamos ver de agora em diante?

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Pequenos, mas lutadores. ...

O último mês, em termos de pesca foi mesmo para esquecer ! Das enúmeras vezes que fomos à pesca, o resultado foi sempre o mesmo, LÍRIOS-TONESCO !!
Tem sido bastantes as capturas deste animal, o que não é usual visto que as águas do Norte são frias ... ahahahaah
Nós designámos de Lírio-Tonesco, quando vamos à pesca e não pescamos nada, ou seja, gradámos.Isto porque quando fomos aos Açores fomos com a esperança de apanhar algum lírio, o que saiu defraudado...Como dizia o Sr.Cruz:"Olhem os Lirios do campo, porque os do mar, NEM VÊ-LOS !"
Sinceramente não faço a mínima ideia do que se está a passar para o peixe não colaborar, talvez estivéssemos mal habituados.
Esta semana fui fazer o final da tarde ao spinning, o que coincidia com o virar da maré(mais hora menos hora).Quando cheguei ao pesqueiro, reparei num enorme bando de aves a cerca de 1 milha de terra, o que me levou a pensar."Algum peixe que haja, anda bem longe e saciado.", não podia estar mais enganado.
Logo no primeiro lançamento, ferro um robalote que apesar de ser de pequenas dimensões lutou até ao fim.



Após a foto da praxe foi feita a libertação.
Pouco tempo depois, ferro outro que mais parecia irmão gêmeo do anterior.




Já com noite cerrada,consegui enganar um bom exemplar, não é nenhum troféu mas dá ânimo e alento para as jornadas seguintes.




Segundo o Valadas, este peixe é mesmo da medida do forno dele. ahahahah

Abração