sábado, 24 de dezembro de 2011

Quinto dia seguido a dar neles - o Urubu não perdoa!

Andavamos desejosos pela companhia do nosso grande Amigo e distinto membro do Trio da Cueca Molhada - Urubu. Quando finalmente nos pode acompanhar, o mar tinha crescido bastante e estava uma Nortada desagradável. Que grande galo! Tanto eu como o João queríamos muito que o Urubu também molhasse a sopa neste mar abençoado de Natal e logo quando podia o tempo não parecia colaborar...
Foi precisamente isso que constatamos quando eu e o King chegamos à praia, ainda de dia. O Rui viria mais tarde, quando saísse do trabalho. Começamos a pescar com jerkbaits e em pouco tempo guardamo-los de novo no porta-amostras! O mar varria e não dava chances de os animar. Decidimos lançar os ferros num sítio sugerido por mim, onde o mar trabalhava certinho e cheio de espuma e em pouco tempo o King ferrou o primeiro robalo. Como vem sendo habitual nos últimos tempos, só pesca mikis e não fugiu à regra! Ahahahah!
Era um peixe pequeno, mas que nos animou e fez crer que apesar do mar mais pesado, eles não se tinham posto a monte!


Também serviu de motivação extra para o Urubu, que chegou já noite cerrada, para encarar as piores condições de pesca dos últimos dias.
Independentemente do que acontecesse, era uma alegria poder esta ali com os meus dois grandes Amigos, como já não estavamos há muito tempo! A vida prega-nos partidas a todos e são estes momentos que nos fazem esquecer essas partidas e, pelo menos por instantes, abstrair dos problemas.
O TRIO ESTAVA DE VOLTA e AO MAIS ALTO NÍVEL! Que o diga o Urubu, que após alguma insistência engata o tarolo que há muito merecia. Eu tinha a convicção profunda que ele ia tirar o dele, ainda por cima com a zagaia que ele tanto gosta!
O peixe foi trazido até à minha mão com a mestria do costume! O Urubu não perdoa!



Com estes 2 peixes o Trio alcançou uma proeza para mim impensável - foi o quinto dia seguido a dar neles!

Fica uma última foto para a posteridade:


BOM NATAL PARA TODOS!

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Satisfeito e incrédulo - 4º dia SEGUIDO a dar neles!

O regresso à cena do(s) crime(s) tinha ficado prometido e era mais do que devido, dada a quantidade e a qualidade dos robalos pescados nos últimos 3 dias.
Estranhamente, as excelentes condições metereológicas pouco ou nada tinham mudado. Quatro dias seguidos propícios à pesca com amostras, em Dezembro, no Norte, é algo de que não tenho memória nos muitos anos em que pesco.
Só há uma coisa a fazer nestas circunstâncias: aproveitar e mandar o aço como se não houvesse amanhã! Ahahaha!

Muito honestamente nem no meu melhor sonho podia passar-me pela cabeça pescar robalos ao spinning em 4 dias consecutivos, mas foi o que aconteceu! Mais! Nestes 4 dias, depois do vídeo dos melhores momentos do ano feito, acabei por pescar o meu maior exemplar do ano e o segundo maior exemplar no dia de hoje!

Uma vez mais, foi quando o sol desapareceu na linha do horizonte e o tom laranja se começou lentamente a fundir com o azul do mar que a adrenalina disparou. A amostra cai na água, arranca na minha direcção e mais um tarolo fá-la disparar em sentido contrário e em direcção ao fundo. O Stella começa a sorrir e eu também! Uns minutos depois estava ao meu colo o meu segundo maior exemplar de 2011!





Tão satisfeito como incrédulo com esta captura, ainda tive tempo de ver o meu Amigo Xavier pescar outro bonito peixe, um pouco mais pequeno que o meu, mas também de porte considerável.

O único amargo de boca foi o facto de o Xavier ter tirado o peixe mesmo ao meu lado, na pedra onde tinha estado o King Petas minutos antes, quando decidiu ir procurar nas rochas 3 amostras que perdeu seguidas devido a um problema com o carreto. É caso para dizer que "o azar de uns é a sorte de outros"! Ahahahah!

Mais dias virão mas parece que o bom tempo está a acabar, pois amanhã já vamos ter vento forte. A ver vamos... Ahahahah! Haverá ainda mais prendas de Natal?

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

HotSpot on fire - três dias seguidos sempre a dar neles!

Como não há duas sem três, hoje voltamos à carga pelo terceiro dia consecutivo. Desta feita, na companhia de 3 grandes senhores da pesca ao Robalo: Valadas Pai, Valadas Filho e "Mãos frias".
Ainda a tarde ia a meio e o Valadas Júnior decide pôr-se ao fresco sob o pretexto de que "o mar não estava a dar jeito". De facto o mar estava pouco mexido e a nortada a aumentar, mas a persistência nos últimos tinha dado excelentes resultados, pelo que eu e o King continuamos a tentar a nossa sorte. Entretanto chegou o nosso amigo Xavier, que no dia anterior também tinha enganado 3 robalotes que libertou.
Já o sol ia baixo e as dores nas costas aumentavam, quando decidi fazer uma pausa para lanchar (umas percebas apanhadinhas na hora). Finalizado o repouso de 5 minutos, substituí o João na pedra onde se encontrava para ser ele a fazer a pausa kit kat. Mal a amostra cai na água, logo no primeiro lançamento, ainda ele não se tinha sentado - "Já esta! Ahahahah! És mesmo nabo! O peixe estava aqui de boca aberta à espera! Ahahahah!" O peixe era quileiro, mas voltamos a lançar cheios de vontade e esquecemos de imediato o cansaço e as dores. Em pouco tempo eu já tinha outro ferrado, um pouco maior. Mal o ponho a seco, a tanga ao King intensifica-se! Ahahaha!


A noite chegava lentamente e com ela o fim da maré vaza, condições mais do que boas, que acabaram por ajudar o vento a cair. Foi nessas condições excepcionais que primeiro eu e depois o King apanhamos mais dois robalos, mas bem mais crescidos. É claro que o meu foi o maior exemplar do dia, pelo terceiro dia consecutivo! Ahahahah!



O nosso Amigo Xavier, que entretanto se abeirou de nós e estava a tirar-me uma fotografia com o maior exemplar, aproveitou estar com a máquina na mão e filmou o João a tirar o dele e eu a ajuda-lo:




A verdade é que esta sequência de três dias seguidos sempre a dar neles ficará na memória, ainda por cima com grandes exemplares em dois deles!

Ficam 2 videozinhos feitos para o desistente Valadas, que foi safar a grade a uns Km de distância:





Será que ficamos por aqui? Já não digo nada! Ahahahah! Se ficar por aqui, não vai ser por falta de insistência, pois amanhã estamos lá!




terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Últimos cartuchos certeiros

Como todos podem verificar postei "Os melhores momentos de 2011" no dia 17 de Dezembro, embora com a ressalva que ainda tinha muita fé nos "últimos cartuchos". Se a pescaria de ontem foi agradável mas sem nenhum exemplar digno de figurar no "best of", hoje a história foi outra... O Amigo Pedro Nunes pediu peixe maior... :) ...já lá vamos!

Saí de casa ainda de noite para ir buscar o Rei João. Guiámo-nos pela tábua de marés online quanto ao nascer do dia e saiu-nos o tiro pela culatra já que o dia nasceu cerca de meia hora antes da hora estimada no dito site. À custa disso começamos a pescar já bem de dia, perdendo uma das alturas de que mais gostamos... Paciência! Pelo menos o mar estava espetacular, com ondas de metro/metro e meio a trabalhar certinho. Os mantos de espuma criavam ilusões e a leve brisa ajudava a sonhar. Lançamento após lançamento comecei a afastar-me do King, que insistiu algum tempo num spot de areia. A verdade é que estava bom em todo o lado e até custava escolher um spot. Fui saltitando de rocha em rocha e lançando aqui e ali, até que um pescador que estava perto de mim engata um bonito robalo ao boião, na casa dos 3 ou 4 Kg. Apesar de não o conhecer, dei-lhe os parabéns e fiquei contente por ver reforçada a minha convicção de que o peixe andava por ali... provavelmente mais fora do que onde as minhas amostras estavam a chegar...
Troquei a amostra pelo buldo e o meu Amigo King, que entretanto me apanhou, emprestou-me um pingalim verde matador. Apesar de muitas tentativas, o peixe teimava em não colaborar. O João começou a desanimar, a dizer que a água estava muito aberta, que o mar tinha caído de mais, que a hora já não era a melhor, que o Cuco nunca mais chegava...
Telefonamos ao Cuco, que ainda estava atrasado e tinha trabalhado 24h, mas que confirmava que ainda nos iria fazer companhia. Quanto mais não fosse por isso, o King ia ficar por ali à espera dele, mas não estava muito motivado. Repeti-lhe vezes sem conta para não desistir, pois um dia como o de hoje era raríssimo nesta altura do ano. Mesmo assim, parou de pescar mais de meia hora depois de perder um ferro! Já eu, mudava de amostra para buldo, de buldo para ferro, de ferro de volta para amostra... e com material da pesada... embora com os mesmos resultados práticos!
Entretanto o nosso Amigo Cuco chegou e fomos os 3 a um spot onde já fui muito feliz no ano passado! Ahahahah! Preparava-me para meter um ferro para habilitar numa zona mais inacessível e disse ao Cuco: "Que se lixe, está pouco mar, vai para lá a Daiwa SP!". Lanço enquanto cantarolava ao vivo e a cores "I´ve got the moves like Jagger", quando sou interrompido pelo drag do meu Stella 6000FA. O Cuco ao meu lado apercebe-se logo e o King vem a correr de longe para ajudar. Peço ao Cuco que tire a máquina fotográfica da minha mochila e que filme, mas com a emoção pensou que não estava a filmar e ficou apenas o registo sonoro com a bela vista de... calhaus! Ahahaha! Mas vale bem pelo registo sonoro e como tal tenho de o partilhar! Aqui vai, sem espinhas e cheio de adrenalina! :)





Ainda pescamos mais uma meia horita e demos por terminada a manhã de pesca.


É importante registar que o peixe foi pescado às 11:30h!

De tarde voltamos à carga sem o nosso Amigo Cuco. Foi a vez do King John safar a grade com um bonito miki - a sua especialidade! Ahahahah! O gesto foi bonito e ficou registado.



Mais uma vez ficou provado que um dos principais segredos da pesca é a persistência e que a melhor hora é aquela em que a amostra passa ao lado da boca do peixe!

Pelo sim pelo não, para o ano faço o vídeo dos melhores momentos do ano em Julho ou Agosto! Ahahahah! E peço ao nosso Amigo Pedro Nunes para pedir robalos maiores! :)

Os últimos cartuchos estão certeiros. Será para continuar? Vamos fazer por isso enquanto o tempo deixar! ;)

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

2011 ainda não acabou!

Como tanto ansiei durante largos dias, hoje as condições metereológicas não foram obstáculo.
Numa altura de crise, não se pode virar costas a uma prenda, mesmo que seja dada pelo meio ambiente. Com o vento a cair e o mar a virar chão quase da noite para o dia, hoje tinha de ir tentar a minha sorte. Assim fiz. Ao fim da manhã fui ver o mar e fiquei agradavelmente surpreendido ao constatar que estava ainda melhor do que era previsto. Falei com o meu Amigo Urubu ao telefone e segui o conselho dele: "Vai mas é já mandar para o líquido! Quem me dera a mim!".
Embora a hora não fosse teoricamente a melhor, pois o Sol já ia alto, fui a tempo de ferrar um bom peixe com a zagaia, mas que após 2 ou 3 cabeçadas se pôs ao fresco... fiquei doente! Os meus Amigos já sabem que prefiro ir pescar e não sentir toque do que perder peixe... mas é mesmo assim: "um dia do peixe, outro do pescador"...

Fui almoçar e de tarde voltei à carga com o Cotinha e o Rei João. Comecei a lançar nos últimos minutos de vazante e não demorou nada a ferrar o primeiro; a Angelkiss cai na água num lançamento largo, dou duas maniveladas e... já está! O peixe era pequeno mas lutador e após um ataque franco, debateu-se com bravura. Mas desta vez ganhou o pescador.


Como diz um grande Amigo meu e Mestre Pescador com os olhos esbugalhados: "É no virar! É no virar!" Ahahahah!
Ainda no virar tive mais um preso, que se soltou...! A azia foi menor do que de manhã, mas voltei a engolir em seco! Depois, o sol pôs-se em menos de 1 hora, o que é algo que acho extremamente deprimente nesta altura do ano. O Cotinha ainda livrou a grade a pescar ao fundo, mas em vez de um sargo quileiro como procurava, saiu-lhe a "fava" - uma boga do mar, entenda-se. Já o Rei João, hoje só ganhou o prémio de melhor salto para a pedra, com um bonito malho, a fazer lembrar o mestre de encarpados para a areia - Cabé, o nosso Comandante XNT (que infelizmente hoje não nos pode acompanhar).

Foi óptimo poder voltar a fazer o que tanto gostamos e comprovar que 2011 ainda não acabou!
Pode ser que os próximos dias de boas condições para a nossa pesquinha nos dêem mais alegrias...

Para terminar ainda tive a alegria de sempre que chego a casa com peixe (independentemente do número e do tamanho):

PS: Esta é a minha filha mais velha. Imaginem quando a mais nova crescer! :) Vou ter mais duas companheiras para ir pescar!

sábado, 17 de dezembro de 2011

Melhores momentos de 2011

Como é apanágio do nosso blogue, no fim de cada ano reunimos fotos e vídeos de alguns dos momentos que mais nos marcaram nas nossas pescarias. Apesar de ainda faltarem 2 semanas para que 2011 acabe e ainda termos muita fé nos últimos cartuchos pois as condições metereológicas vão melhorar nos próximos dias, a compilação acabou de ser feita.
Alguns momentos inesquecíveis constam neste vídeo, mas é impossível reunir muitos outros que ficarão para sempre na nossa memória. A todos os que conosco partilham estas memórias e que nelas participam directa ou indirectamente, o nosso muito obrigado! Bem hajam!

Seguem-se (alguns) dos "Melhores momentos de 2011":



Aproveitamos esta súmula de momentos especiais para desejar a todos aqueles que nos seguem e lêem que o ano de 2012 proporcione pelo menos vivências tão boas como estas e, já agora, um Feliz Natal!

Haja Saúde!

sábado, 10 de dezembro de 2011

Robalos com "R" e "V" maiúsculos

Seguem-se 2 fotografias de 2 Robalos com "R" maiúsculo, pescados por um dos maiores, senão o maior pescador de robalos que conheço - o Mestre Valadas (com "V" maiúsculo também).



Nestes primeiros dias de Dezembro, com mar forte, estes dois verdadeiros tarolos não foram os únicos que pescou, mas pelo seu tamanho considerável merecem um lugar de destaque!


Obrigado Amigo Valadas pelas lições e Amizade! ;)

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Robaloshotspot renovado

Pois é amigos, a imagem do Achigã no "Robaloshotspot" não encaixava nada bem!
Assim sendo, teve direito a "cara nova", "site novo" e "passeio da fama".
O novo domínio é mais curto e mais facilmente acessível:

www.robaloshotspot.com


Espero que gostem tanto quanto eu.

Boas pescas!

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Melhor do que Nada!

Foi neste domingo último que o "Gang da Anaconda" com algumas falhas e atrasos tudo por culpa do "MORFEU" decidiu reunir as tropas para o ataque. Eram umas 6,30h e a malta já estava no pesqueiro a mandar o aço: Urubas, Rui Carneirola, Jorge Treclas, Nelito "Mãos Frias" e o verdadeiro Presidente Paulo Preto.
Após uns bons lançamentos ao lado do Rui lá consegui enganar um peixe da medida. Trabalhei-o e lá veio o menino parar às mãos do Rui......
Entretanto chega o Valadas cheio de pika e todo ligeiro em nossa direcção e já vinha atordoado como sempre! Uhuuhuhuhuh! Ainda com cara de sono e todo remeloso! Ahahahahaah! Tinha adormecido como 2 morcegões que conheço que o "MORFEU" também não os deixou levantar da caminha.....eheheheheh! Ponham-se a dormir e depois não se queixem.....LOL


Para uma próxima oportunidade concerteza que as tropas vão estar todas reunidas para mais uma manhã de risota pura e peixe à mistura!
Valeu bem a manhã! Se fosse sempre assim era excelente!

Abraço
Urubas

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Dia de bons exemplares

O dia 16 foi um dia de pesca profícuo em bons exemplares, quer da costa quer de barco. Que o digam os meus amigos Valadas e Pombal!

Valadas com 2 robalos - 4.7Kg e 2K


Pombal com Pargo de 4,6Kg (novo recorde pessoal)

Parabéns a ambos!

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Humorística, para variar ....

Pois é amigos, dado o estado do tempo e um mar que nos impossibilita de fazer o que mais gostamos, nada melhor que abrir o baú de memórias e recordar as melhores histórias de pesca.
Como nos identificamos com a pesca, e acima de tudo, tratamos a pesca como um hobbie, também há que saber brincar.
Lembrei-me deste relato do nosso Grande Amigo Cabé(Comandante XNT), que para nós é um exemplo em todos os aspectos.


"Tempo bom, água ainda melhor, e Povo muito melhor!!! João Magalhães, Costa, Ricardo Martinho, Rui Sá e eu. Certinhos e direitinhos, lá estávamos às 6 da matina para as prometidas vassouradas, só que os nossos amigos Labrax teimaram mais uma vez em não aparecer...... pelo menos para os meus companheiros, porque eu, não satisfeito, fui premiado com um lindo peixe. Quero agradecer a estes compinchas, que são verdadeiros amantes do Mar!"



O Material utilizado:



Obrigado Cabé !
Abração

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Mais tecnologia online para ajudar as nossas pescas

O grande Urubu mandou-me hoje um link bastante útil para quem gosta de pescar. Cada vez mais me sinto dependente da consultra prévia do Instituto Hidrográfico e Windguru (pelo menos) sempre que decido ir pescar. Por vezes as previsões falham, mas servem sempre de guia. Muitas outras vezes a nossa fezada faz-nos ignorar as previsões e a vontade de estar perto do mar é mais forte do que qualquer má previsão. Ainda bem, pois a incerteza e o acaso são indissociáveis desta actividade de que tanto gostamos.

Este é o site que desconhecia: http://www.tabuademares.com/

Congrega imensa informação, quer de forma sucinta com tabelas, quer de forma mais detalhada por extenso. A verdade é que me parece uma súmula importante da maior parte das variáveis que condicionam a nossa pesca , desde a maré, coeficiente de maré, hora da vazante e enchente, hora do nascer e pôr-do-sol, temperatura, humidade, fase lunar, horas de maior actividade do peixe, pressão atmosférica, vento, entre outros...

Parece-me bastante útil, pelo que deixarei o link nas "Utilidades" deste blogue.

Espero que nos ajude nas nossas pescarias!

Boas pescas!

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Último dia de bom tempo?

Foi no dia 22 deste mês que nos fizemos ao mar na esperança de reencontrar os tão famosos "lareiros" (gorazes grandes). Tudo estava de feição, pois o dia parecia primaveril. Enquanto o Sol espreitava tímido no horizonte, já o motor de 175Cv do nosso Amigo Barros roncava a toda a força e fazia a nossa embarcação voar sobre um mar calmo e estanhado.


O vôo nestas condições foi muito rápido e em menos de uma hora chegamos ao pesqueiro, sem turbulências. Já lá estava o Comandante do Negrão, o Luís Lareiro e o Urubu, numa outra embarcação. Ao chegarmos, acenavam com bons gorazes acabados de pescar. Se já íamos com vontade, com mais ficamos!


Pescamos toda a manhã e início de tarde, debaixo de um sol agradável que por períodos se ia escondendo nas nuvens, mas sempre com uma temperatura amena que ainda me permitiu uma boa soneca na proa do barco num período em que a actividade do peixe diminuiu.
Como é habitual reinou a boa disposição, desta vez com a interactividade entre os dois barcos fundeados lado a lado. O que já não é tão habitual é a presença de pequenas aves (migratórias?) que vêm pousar no nosso barco e em nós! Pareciam aves domésticas! Provavelmente a aproveitar o último dia de bom tempo antes da tempestade, tal como nós...

No final, a pesca também foi muito razoável, com capturas de bons pargos, gorazes, carapaus, fanecas, sargos, choupas e congros.


Terá sido o último dia de bom tempo? Provavelmente! Mas não foi a última boa pescaria deste ano com certeza!

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Radical até partir!

Desde que a minha segunda filha nasceu, faz pouco mais de um mês, as minhas noites são feitas de sonos intermitentes. Nada que não esteja habituado, ou não trabalhasse pelo menos uma vez por semana de noite. Hoje acordei com ela pouco antes das 7 da manhã, olhei pela janela e ainda estava escuro e resolvi aproveitar o acordar precoce e fui pescar.
Não gosto nada de ir sozinho, mas àquela hora não ia telefonar a ninguém!

Chegado ao local, em plena alvorada, o cenário era o ideal: conjugação de bom tempo, ausência de vento, mar a trabalhar certinho e a água com uma cor brutal cheia de espuma e esverdeada. Após uns 20 minutos sinto o primeiro ataque numa Angelkiss; um ataque franco, convicto e diferente para muito melhor dos (poucos) que tenho tido nos últimos meses! A melodia há muito não escutada do drag alegrou os meus ouvidos!
Posto a seco em pouco tempo, foi fotografado e filmado com dedicatória.


A manhã estava mais do que ganha e o sol erguia-se no horizonte, projectando a minha sombra sobre a água. Como não gosto que isso aconteça, preparava-me para ir para casa quando me lembrei dos meus amigos Varadas e Urubu dizerem que mesmo em Outubro o peixe atira-se ao passeante. Já há dois dias tinha experimentado sem qualquer resultado, mas a maré aproximava-se do fim e as pedras estavam cada vez mais descarnadas. O meu amigo King na última jornada de pesca tinha ali perdido uma amostra e eu sabia que o local era baixo. Foi dito e feito - Hidro Pencil bege na água! Vários lançamentos nesse local baixo e nada. Depois de umas 20 ou 30 passagens, resolvi lançar o passeante no local onde tinha engatado o primeiro robalo, um local bastante mais fundo. A cerca de 5 metros de mim vejo um peixe a perseguir a amostra que a ataca ao de leve e falha. Pensei cá para mim: "mais um miki maluco!". Parei o passeante e zás! Com o drag quase fechado ao máximo apercebi-me que ou o abria ou o "miki" rebentava tudo! Mal o abri, foram logo uns metros valentes de linha, sempre em direção ao fundo e para fora! Cabeçadas fortíssimas e passeante nem vê-lo nos 10 minutos que se seguiram! Que saudades destas emoções! Há quanto tempo não sentia um destes! Ao fim de uns minutos espetaculares vislumbro pela primeira vez a cabeça da fera - um cabeção com uma linha a entrar na boca e amostra nem vê-la! Fiquei ainda mais em êxtase! Abeiro o peixe, meto-me quase dentro de água e aproveito uma onda para o tentar pôr a seco. O peixe sobe para uma rocha com declive, pára por instantes e volta para dentro de água na escoa! Ai o que eu dava para ali ter um Amigo! Repetiu-se o mesmo 2 vezes e à terceira, a minha Lesath Power Game parte em 5 partes! Estava a ser uma pesca radical, até ela partir! Com muitos palavrões pelo meio, pois quando a cana partiu deixei por instantes de ter a linha tensa e pensei que o peixe tinha fugido, estiquei a linha e ele ainda lá estava. Trago-o com dificuldade à superfície e vejo que o Hidro Pencil já está fora da boca, só com 2 anzóis de uma das fateixas cravados! Mais 40 asneiras e a lembrança de uma bicuda enorme que me fugiu no ano passado nos Açores quando a tentei levantar pela linha para não partir a cana. Isso não podia voltar a fazer! Fechei o drag , corriquei o máximo de linha que consegui com os elementos soltos e carreguei a minha última esperança numa vaga! O animal estava a seco!






Estes peixes são dedicados ao Rei João (que eu muito gostava e bem merecia ter la estado), ao Urubu, ao meu Cotinha e claro - à mais jovem menina do clã Cruz que fez o favor de me acordar, bem como à sua mana mais velha que me tinha escondido a chave do carro que me vi grego para a encontrar antes de ir pescar!


segunda-feira, 10 de outubro de 2011

O mesmo prazer de sempre, mas com menos escamas

Este ano não temos sido muito felizes na pesca ao robalo. É, sem dúvida, um ano fraco quer em quantidade e qualidade. São poucos e, tirando uma ou outra excepção, pequenos.
Nos tempos de fartura, damo-nos ao luxo de não fazer relatos dos "mikis". Nos dias que correm até um mikizinho tem direito a um lugar de destaque no "Hotspot"! Como isto vai mal!
O que nos vale é que mesmo com estes pequenotes, cresce-nos a esperança que os parentes mais velhos os acompanhem e caiam na nossa armadilha mais dia menos dia. Alimentam-nos a fé e avivam memórias de lutas inesquecíveis que desejamos voltar a viver...

Ontem assim foi. Mais um fim de dia de Outubro com calor de Verão. Depois de um dia de trabalho, de calção e água pela cinta lá fui com o meu Amigo Rei João alimentar a crença na despedida do sol.


Um pequeno robalo, encheu de vida a ponteira da minha cana e de êxtase o meu amigo João quando a viu abanar! O prazer foi o de sempre, sejam grandes ou pequenos...


Eles andam aí... e os grandes já não devem andar longe... resta prová-lo!

Urubu com 2 robalos de mais de 8kg!

O sol ia já bem alto quando me encontrei com o meu Pai e com o Urubu em Gaia. Tomamos o pequeno-almoço, conversamos um pouco e lá fomos nós.
Ao contrário do que vem sendo habitual neste fraco ano de robalos, o Urubu deu de caras com 2 animais de respeito, ambos com cabedal acima de 8Kg!



Uma oportunidade cada vez mais rara, especialmente nos dias que correm... será que só assim os vamos ver de agora em diante?

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Pequenos, mas lutadores. ...

O último mês, em termos de pesca foi mesmo para esquecer ! Das enúmeras vezes que fomos à pesca, o resultado foi sempre o mesmo, LÍRIOS-TONESCO !!
Tem sido bastantes as capturas deste animal, o que não é usual visto que as águas do Norte são frias ... ahahahaah
Nós designámos de Lírio-Tonesco, quando vamos à pesca e não pescamos nada, ou seja, gradámos.Isto porque quando fomos aos Açores fomos com a esperança de apanhar algum lírio, o que saiu defraudado...Como dizia o Sr.Cruz:"Olhem os Lirios do campo, porque os do mar, NEM VÊ-LOS !"
Sinceramente não faço a mínima ideia do que se está a passar para o peixe não colaborar, talvez estivéssemos mal habituados.
Esta semana fui fazer o final da tarde ao spinning, o que coincidia com o virar da maré(mais hora menos hora).Quando cheguei ao pesqueiro, reparei num enorme bando de aves a cerca de 1 milha de terra, o que me levou a pensar."Algum peixe que haja, anda bem longe e saciado.", não podia estar mais enganado.
Logo no primeiro lançamento, ferro um robalote que apesar de ser de pequenas dimensões lutou até ao fim.



Após a foto da praxe foi feita a libertação.
Pouco tempo depois, ferro outro que mais parecia irmão gêmeo do anterior.




Já com noite cerrada,consegui enganar um bom exemplar, não é nenhum troféu mas dá ânimo e alento para as jornadas seguintes.




Segundo o Valadas, este peixe é mesmo da medida do forno dele. ahahahah

Abração

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Hoje é dia 13, mas não é Sexta-feira!

Hoje de manhã saí bem cedo de casa para ir pescar com o meu pai. Como sempre, ia cheio de fé. Já o meu pai, que até nem é supersticioso, foi toda a viagem a dizer que as previsões eram de um mau dia de pesca todo o dia! E aliado a essas previsões até era dia 13!

Eu não tenho dúvidas que há vários factores que condicionam a pesca, desde a fase da lua, o tipo de maré e a fase em que se encontra, a temperatura, etc... tento levar vários desses factores em linha de conta quando decido ir pescar. Na verdade, e sem descurar a sua relevância, não são nem nunca foram os factores determinantes para me fazer sair de casa. Eu para ir pescar só preciso de uma boa companhia e de ter tempo para o fazer. Se calhar por isso carrego tantas grades, mas é a minha maneira de encarar este meu hobby!

Por sinal, as tais previsões, pelo menos desta vez falharam redondamente! Chegados ao spot escolhido, os toques sucederam-se e foi uma manhã bem animada de pesca. Pescamos 9 douradas, 8 sargos e 3 pequenos robalos (que engoliram o anzol até ao bucho e por isso os trouxemos). Nem nos iscos o peixe foi esquisito; comeram navalha, casulo e bicha do mar sem diferenças. Imaginem se a previsão tinha sido de um dia óptimo para pescar!


Tive foi pena que o meu cunhado Tiago (mais conhecido por "Xinante Atmosférico") não tivesse ido, pois da última vez que nos acompanhou foi a pior pesca do último ano em que só pescamos um pequeno sargo! A ser supersticioso, não ia era mais pescar com ele, pois sempre que vai dá um respo do caraças! Ahahahah!

Felizmente, e como referi ao meu pai na viagem até ao spot, hoje é dia 13, mas não é Sexta-feira! E a companhia, o solzinho que apanhamos e o belo almoço estavam sempre garantidos! Não se pode chamar a isto azar, seja em que dia for! E como diz o ditado: "Mais vale um mau dia de pesca, que um bom dia de trabalho"!

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

O Surfcasting é que está a dar!

Ainda sem gozar férias e a aproveitar cada tempinho livre para pescar, as poucas investidas ao spinning têm sido condenadas ao fracasso.
Hoje a pesca foi outra, foi o regresso às origens. Eu e o Cotinha compramos isco orgânico - bicha de mar e navalha - e resolvemos ir tentar a nossa sorte ao fundo, com as douradas como alvo.
Mal começamos a pescar, os toques sucediam-se. Contudo, o peixe "comia de borla"! Sem saber o que andava por ali a petiscar a navalha nos anzóis 2/0, o Cotinha decidiu iscar com bicha do mar e não tardou nada a ferrar um sarguito e logo de seguida uma bonita dourada.

Com o Cotinha a dar música de um lado e do outro os anzóis a virem repetidamente limpos, decidi acrescentar às minhas montagens mais um tenso, com linha mais fina e um anzol bastante mais pequeno (nº5). Não tardou a surtir efeito esta mudança e pesquei logo 3 sarguitos quase seguidos.
A manhã estava animada, especialmente para quem já não sentia um peixe há mais de 10 dias!
A cena mais caricata surgiu já a meio da manhã, quando sinto uma pancada violenta, ferro o peixe e aviso logo o meu Pai que tinha uma boa dourada. Aos poucos abeirou-se de nós e deixou-me perto de um ataque de nervos quando reparei que vinha presa não no anzol de baixo (o 2/0), mas no de cima (nº5, com tenso mais fino)! Com todo o cuidado consegui iça-la cerca de 4 metros e mete-la a seco.


É engraçado que tenho pescado sempre as douradas com iscadas generosas de navalha devidamente amarradas e esta tinha sido enganada por 2 pequenas bichas do mar que apenas tapavam um pequeno anzol nº5! Vivendo e aprendendo!
A excepção confirma a regra e lá tive de apanhar mais uma dourada gulosa com uma navalha inteira. Enquanto a pescava, a minha segunda cana quase que ia à água tal foi a violência com que um sargo esfomeado avisou que se tinha ferrado. Com a dourada a meio da subida, só tive tempo de parar de corricar e pegar na outra cana e dá-la ao Cotinha antes que fosse tarde. Foi a maneira do Cotinha ter o prazer de pescar um sargo à homem, já que os que pescou era tudo mikizada! Ahahahah!
No fim da manhã tinhamos uma pescaria agradável: trouxemos 3 douradas acima de Kilo e um sargo e devolvemos vários sarguinhos e um robalo miki.


Já deu para quebrar a grade, apanhar sol e comer bem na companhia do Cotinha que desta vez só lhe serve de consolação ter pescado a maior dourada!

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Parabéns URUBU!



Um grande abraço para ti que és um Amigo muito especial!

domingo, 7 de agosto de 2011

Açores - Julho de 2011 - os vídeos



Um abraço!

sexta-feira, 22 de julho de 2011

AÇORES DIA 6 – CAVACOS ANTES DO REGRESSO


Um pouco desiludidos com os resultados da pesca embarcada, no último dia desistimos de pescar na costa. Acordamos mais tarde, arrumamos as malas e rumamos até ao Restaurante Bela Vista, onde tínhamos encomendado três cavacos para almoçar. No dia anterior, depois do regresso a terra, o Paulo tinha ligado ao proprietário a indagar se ele nos preparava alguns peixes para complementar a refeição dos cavacos. Anuiu imediatamente e ficamos de passar a meio da manhã pelo restaurante para entregarmos um rocaz, dois pargos e uma garoupa.

Depois fomos dar uma volta turística pela ilha do Faial, ainda desconhecida para o Rui e o João. Visitamos naturalmente a caldeira vulcânica, onde a temperatura rondava apenas os 10 graus, e a praia do Porto dos Cedros. Fizemos uma volta completa pela ilha, deliciando-nos com as paisagens, com os caminhos ponteados de hortênsias e alargamos horizontes, conseguindo ver em alguns locais quatro das cinco ilhas do grupo central dos Açores – Faial, Pico, S. Jorge e Graciosa. Só não vimos a Terceira...

Pelas duas horas estavamos sentados à mesa para um almoço demorado. Comemos três cavacos (é pena serem tão caros...), saboreamos uma salada de rocaz e terminamos a degustar os pargos e a garoupa, grelhados na chapa. Foi um almoço espectacular! A qualidade dos produtos ajudou, mas o profissionalismo e a simpatia do proprietário e dos funcionários do restaurante foram fundamentais. É assim que se conquista mais gente para o turismo...

Depois foi a partida para o aeroporto e para uma surpresa desagradável. Ao fazermos o “check-in” foi-nos exigido o pagamento de 35 euros por cada um dos três tubos de canas. Argumentamos que na viagem de Lisboa para a Horta não tínhamos pago qualquer verba e que estavámos muito londe de atingir o limite de peso. Debalde. Tivemos mesmo de pagar 35 euros, mas juntamos os três tubos num único volume. É claro que que apresentamos uma queixa formal e esperamos que a TAP tenha o bom senso de devolver o que não lhe pertence! Não é certamente assim que cativa os turistas, nacionais ou estrangeiros!

De Lisboa ao Porto, a viagem foi rápida, com uma paragem na zona da Mealhada. Obrigatória, apesar de ser já madrugada.

Foi a última etapa de uma jornada inesquecível. Pela amizade, pelo convívio e pela alegria.

A repetir? Certamente!


AÇORES DIA 5 – SÓ DÁ MOREIAS...


O último dia de pesca embarcada começou às 9 da manhã. O objectivo era pescarmos frente ao vulcão dos Capelinhos, o que implicava uma viagem superior a uma hora e meia. Trata-se de um bom pesqueiro, onde costumam ser capturados alguns exemplares de lírios e outras espécies pelágicas, recorrendo ao jigging e ao spinning. Durante a viagem fizemos um ligeiro abrandamento para observarmos uma grande família de golfinhos, com muitas crias pequenas, que brincavam a poucas centenas de metros da costa. Foi um espectáculo inesquecível!

Depois começou a acção de pesca e desta vez o Rui conseguiu capturar duas bicudas ao jigging, ainda que num dos casos o peixe tenha sido apanhado pelas costas. Foram cerca de duas horas em que eu e o Paulo observamos a determinação dos nossos companheiros de pesca, apesar da ausência de espécies pelágicas capturadas. Ao que parece, os lírios vão chegar atrasados este ano ao Faial... Ou então, citando Erico Veríssimo, dizer: “Olhai os lírios do campo”... porque os do mar nem vê-los!!!

Foi unânime a decisão de voltarmos a pescar ao fundo. Fizemos várias poitadas e fomos capturando alguns exemplares de pargos, garoupas e até de mais um rocaz, sempre muito desejado! Mas neste último dia o que mais atacou os nossos iscos foram as moreias. Caímos em cima delas e todos nós pescamos um ou mais exemplares, de bom peso, e muito activas no momento da ferragem. O Luís não chegou a colocar nenhuma moreia dentro do barco. Desferrava-as na borda da embarcação, devolvendo-as ao mar. Uma boa medida de segurança, aplaudida por todos, já que as moreias não são muito agradáveis à vista e são mesmo perigosas caso consigam abocanhar uma mão ou pé... Por isso, fora do barco é onde estão melhor! Esta decisão impediu-nos, no entanto, de provarmos um dos pratos tradicionais – moreia frita. Fica para a próxima...

O regresso a terra foi demorado, porque o vento e a corrente provocaram uma ligeira ondulação, que à passagem do barco resultou em salpicos de água que nos molharam a todos...

Foi o baptismo final da nossa pesca embarcada nos Açores. As nossas expectativas sairam goradas. A captura de peixes pelágicos ficou adiada para outra oportunidade. Nos Açores? Provavelmente; mas muito dificilmente, de novo no Faial... Há outros destinos igualmente apetecidos e com outros parceiros, que convém conhecer. Na ilha das Flores, quem sabe...


AÇORES DIA 4 – “PEIXE BURRO”...


A segunda-feira chegou com um tempo excelente. Pouco vento, temperaturas agradáveis e o sol a fazer companhia quase permanente. Aproveitamos estas condições com uma ida até à praia do Porto Pim, na cidade da Horta, a única com areia, ainda que bastante escura. Deu para recuperar do esforço, rir de alguns episódios já vividos e perspectivar a sessão de pesca da tarde. Todos tínhamos grandes expectativas quanto ao facto de irmos fazer o pôr-do-sol a pescar...

O Luís decidiu não andar muito e colocou o barco no canal imortalizado por Vitorino Nemésio, que separa as ilhas do Faial e do Pico. Os três mais jovens do grupo começaram a faina agitando vigorosamente os seus jigs, mas os resultados voltaram a não ser satisfatórios, pelo que passado algum tempo, pedimos ao skipper que ancorasse a embarcação para todos pescarmos ao fundo. Foi uma boa decisão, dado que conseguimos capturar alguns bons exemplares de pargos, abróteas, garoupas e algumas moreias. Esta acção de pesca foi prejudicada pela presença em grande número de bogas que atacavam os iscos, inviabilizando os ataques de outros peixes mais desejados. Com anzóis grandes, as bogas desfaziam os iscos com grande facilidade e rapidamente. Particularmente visado pelas bogas, o Paulo Peixoto contabilizou as suas capturas de bogas – 11 no total. Nada mau para alguém que nunca tinha pescado no alto mar!

Com a aproximação do pôr-do-sol, o Pedro, o Rui e o João voltaram ao jigging, enquanto eu e o Paulo fazíamos na proa alguns lançamentos com amostras. “Trabalhávamos” por turnos – cinco a dez lançamentos para cada um, alternadamente. O Paulo lançou então uma profecia – só peixes muito estúpidos é que se lançariam atrás de uma amostra que corria à superfície, isto num local com uma profundidade média superior a 60 metros...

A verdade é que as bicudas se mostraram particularmente activas e todos nós sentimos o prazer de fisgar um exemplar, sentir a sua força e determinação no momento de o recolher para dentro da embarcação. Foram bons momentos de pesca, mas merece destaque especial o episódio vivido pelo Paulo. A dada altura estava sozinho a pescar na proa quando o ouvimos a dizer, em tom sarcástico e ao mesmo tempo admirado: “Peixe burro, peixe burro”! Prestamos mais atenção e vimos que tinha fisgado um bom exemplar ao spinning e que a cana sofria violentos sacões da bicuda. O peixe veio para dentro do barco, para satisfação de todos...

O seu exemplo inspirou-me a mim, que pouco depois tirei o meu primeiro peixe a pescar ao spinning e ao próprio Pedro, que de seguida conseguiu fisgar mais duas bicudas.

E não deu para mais, porque a noite já tinha caído completamente... O que valeu foi que a viagem até à Marina foi de curta duração.