domingo, 30 de janeiro de 2011

O estímulo para muitas mais grades... ou não...

Gosto cada vez mais de ir à pesca! O desejo de estar perto do Mar é cada vez maior. Não sei se passou de um gosto a um vício ou obsessão. A verdade é que é das coisas que mais prazer me dá e desde que não condicione as outras actividades do dia-a-dia (o que por vezes chega a acontecer) é super saudável. Como tudo o resto na vida, sem exageros!
Mais importante do que pescar (entenda-se, tirar peixe) é ir à pesca. O próprio ritual que envolve o "ir à pesca" é viciante: o preparar as roupas, a cana e o carreto, escolher as amostras em que temos mais fé para aquele dia, escolher o "spot" ...
Para além dos rituais, temos o elemento chave - a incerteza. A incerteza é o sal da pesca. Mesmo num mundo tecnológico em que temos previsões diárias, quase ao minuto, dos parâmetros metereológicos, felizmente nem sempre estão certos! Felizmente, porque caso contrário, muitas das vezes que saídos de casa para nos encontrarmos com um grupo de Amigos junto ao Mar prevendo que estará "bom tempo" e não está, se o Windguru não se tivesse "enganado" esse encontro não teria tido lugar. Por outro lado, existem aqueles dias em que as previsões nos dizem para ficar em casa e o nosso "feeling" diz o contrário e acabamos por dar de caras com um belo robalo.
A maior incerteza relaciona-se com a presença de peixe no local escolhido. A escolha do "spot" é, para quem de facto gosta de ir à pesca, outro momento de fé e de "feeling". Predar um dos maiores predadores da nossa costa tem muito de sorte, mas também de saber - o saber acumulado ao longo de muitos dias de pesca, de muitas insistências, de muita observação e acima de tudo, de muitas grades.
Há uns dias atrás, depois de 1 mês e 4 dias sem sentir um peixe apesar de várias idas à pesca, tive o prazer de ferrar um bonito robalo.
Já insistia naquela praia há cerca de duas semanas e apesar das grades sucessivas mantinha a vontade de lá voltar. Tentativa aqui, tentativa ali, lanço num spot complicado pela primeira vez. Encontrava-me em cima de uma pedra alta e com muitas pedras pela frente, algumas emersas e muitas outras ainda cobertas por água. Acabo de fazer o lançamento e penso na melhor maneira de trazer um peixe até mim caso tivesse a felicidade de o enganar. Não seria fácil certamente pois a corrente era forte e tinha muitos caneiros para "guiar" o peixe. O lançamento foi em frente e recolhi a zagaia, bastante empurrada pela corrente, à minha direita, depois de ladear um maciço rochoso. O meu Amigo Xavier, que tinha encontrado ao chegar à praia, sugere que mudemos de sítio uma vez mais, pois aquele já tinha pouca água. Peço-lhe para fazer apenas mais um lançamento. A amostra cai uns metros mais à esquerda que o primeiro. Começo a corricar e sinto um toque que parecia numa pedra; estico a linha e já estava ferrado! Chamo o meu Amigo e ele pousa a cana e vem logo para perto de mim. Ainda bem, pois o peixe nadou de imediato para a rocha ilhada na minha frente, do lado oposto a mim, impossibilitando-me de corricar mais linha, que já estava a roçar a pedra. Com o braço que agarrava a cana no ar e todo esticado, tentando evitar que a linha rebentasse, pedi ao meu amigo que avançasse nas rochas para lhe passar a cana e tentar avançar pelo caneiro de água que nos separava. Assim foi. O Xavier atravessou o caneiro, passei-lhe a cana sempre com o cuidado de manter a linha tensa e sem nunca ter deixado de sentir as "turras" do peixe e passei para essa pedra onde viria a ser mais fácil para mim corricar o peixe, com melhor ângulo para o fazer atravessar com uma onda através de uma fenda na rocha ilhada. Quando isso aconteceu, vimos o peixe pela primeira vez à nossa frente e era maior do que aparentava. O Xavier gritou "abre o drag!", mas poucos segundos depois tinha o robalo aos seus pés.
Desta vez valeu-me a ajuda do meu Amigo, o terminal 0,50 de monofilamento (mais resistente que o multi à abrasão provocada pela rocha) e o meu conjunto de pesca renovado há meses (para durar uns anos): Lesath Power Game 3,30m e Stella 5000 SW.


Deu-me ainda mais prazer ter tirado este bonito exemplar num local que fui explorando e conhecendo pouco a pouco. Foi também um estímulo para muitas mais grades... ou não... porque em todas elas aprendo sempre mais alguma coisa, quanto mais não seja novos nós, sempre que vou com o Jerbas ou com o Varadas. E não foi a sucessão de grades que me fez (nem fará) deixar de ir à pesca! Eu gosto mesmo é de "IR À PESCA" e não necessariamente de tirar peixe... mas que sabe bem, lá isso sabe! Fica o sal (a incerteza) das próximas pescas...

domingo, 23 de janeiro de 2011

Robalo na desova

Nos primeiros meses do ano os grandes Robalos aproximam-se mais da costa. Trata-se do período reprodutivo e da desova. As fêmeas depositam os seus ovos em zonas de areia grossa, pedra rolada ou cascalho e os machos fecundam-nos em seguida.

As fotos que se seguem são ilucidativas:
1. Sondagem da costa
2. Aproximação
3. Escolha do local da desova
4. Desova - repare-se no pormenor do roçar na pedra rolada.

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Eleições ao rubro!

Não, não são as Presidenciais, mas sim a eleição do Presidente do Gangue da Anaconda! Ahahahah!
Ontem de manhã o Paulo fez uma excelente campanha, como já aqui foi relatado. Entretanto, alguns dos restantes candidatos aproveitaram o fim do dia para não se deixarem atrasar. Contrariamente a algumas campanhas de baixo nível que estamos habituados a ver, centradas na troca de acusações, o Gangue da Anaconda tem revelado grande ética eleitoral. Quando um candidato a Presidente apresenta um bom trunfo (entenda-se, peixe), logo aparecem outros com argumentos muito válidos!

Era já noite cerrada quando saído à pressa do trabalho me encontrei com os meus Amigos Rui Urubu, Varadas e Jorge Treclas no local do crime. Como é habitual, estavam todos bem dispostos. Aliás, estavam todos bem dispostos demais para eu me acreditar que ainda não tinham pescado nada como diziam. O sorriso do Urubu não o deixava mentir-me. Vasculhei entre as fendas das pedras e lá estavam dois robalos - um do Treclas e outro do Varadas. O do Treclas era um belo exemplar com perto de 6Kg! E o Varadas já tinha guardado um outro robalo no carro.


Se já vinha com fezada, mais ganhei.
A noite estava linda, com uma temperatura amena para a época do ano, pouco vento e muita luz proporcionada pela Lua Cheia.
O Varadas, que já tinha feito uma boa maré, sentiu-se macho de mais para condições tão românticas no meio de três homens e pôs-se ao fresco em pouco tempo. Não acreditava que desse mais peixe... e enganou-se! O feliz contemplado foi mais uma vez o Treclas. Este ano está imparável! "Está aqui mais um!" - disse ele. Eu e o Urubu paramos logo de pescar e fomos logo para junto dele para tentar ajudar no que fosse preciso. Com muita classe o peixe veio-nos parar aos pés e eu quase que o deixava fugir ao tentar agarra-lo pela boca. O Urubu não vacilou e agarrou-o pelas guelras sem dar hipótese de fuga a mais um peixe com mais de 3Kg.
Fizemos mais uma festa e as fotos da praxe.



Hoje de manhã, recebi esta fotografia no meu email, com o seguinte comentário: "Para o pescador de mikis".


Ontem brinquei com o Varadas por ter pescado o peixe mais pequeno e disse-lhe que só apanhava mikis e que por isso é que eu não apanhava nenhum barrote, porque ele não os deixava crescer. Hoje tive que levar com este "miki" de 5,7Kg!
Já com o meu Cotinha foi igual! De miki em miki, pescou um Mero com mais de 12Kg! Agora este! Ahahahah!

Por favor digam-me que eu só tiro mikis, para ver se arranjo argumento para me candidatar! Ahahahah!

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Paulo a Presidente

Já começa a ser conhecido o Gangue da Anaconda, de Gaia City. Rui Urubu, Paulo, Jorge Treclas, Rui Carneiro e Varadas são os seus ilustres membros.
Hoje de manhã, o Paulo apresentou mais um bom argumento que fundamenta a sua candidatura a Presidente do referido Gangue. Ei-lo:


Paulo, já tens o meu voto! ;)
Parabéns!

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Ano novo, fatiota nova

Durante o dia de hoje duas amostras que andavam pelas ruas da amargura (depois de muitas turras em rochas) tiveram direito a um tratamento especial.
As felizardas foram uma Maria Angelkiss branca, que apelidamos carinhosamente de "a noiva" e uma Vega Akada cavala.

A pouca tinta que ainda lhes restava foi removida com recurso a uma lixa.


Posteriormente foram pintadas com recurso a verniz (comprado numa loja dos Chineses). Com cerca de 2 ou 3 euros a noiva e a amiga ficaram com fatiotas novas!

Agora só falta manda-las para o líquido!

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Urubu e Treclas a abrir 2011 em grande - "Pé direito 2011"

Desde o dia 24 de Dezembro que tenho vindo a dar música aos outros dois elementos do "Trio da Cueca Molhada", pois fui o último a pescar um robalo em 2010, numa manhã já aqui relatada, com os dois a filmar a minha captura. Tive um fim de ano sossegado, sem ouvir as bocas do costume: "Não sabes pescar"; "Não tiras tonescos!"; "Fiz-te uma cruz!"; etc. Em vez disso, fui eu a massacrar-lhes a cabeça. Ahahahahah!

Hoje ao fim da manhã fiz-me ao mar com o meu amigo Ricardo Martinho (aka Murangu Xixi). Pescamos entre as 11:30h e as 14:30h de forma a aproveitar o virar da maré que acabou de encher às 14h. O mar estava óptimo, mas o peixe não compareceu. Da parte da tarde, fui convidado pelo Rei João (primeiro) e pelo Urubu (depois) para mais uns lançamentos. Como as minhas costas ainda não se tinham recomposto, acabei por recusar os convites.
O Rei João manteve a regularidade do ano transacto, acumulando mais uma bela grade. O Urubu, de igual forma, voltou a safar a grade depois de eu recusar o convite de o acompanhar.

Mas a história não acaba aqui. O invejoso do Urubu, farto de levar música desde a tareia que levou no dia 24/12, telefonou-me no fim da pesca a dizer que quer ele quer o Treclas não tinham pescado nada. Como vinha sendo habitual, gozei-o de imediato: "Não sabes pescar!"; "Quando quiseres que te volte a ensinar eu vou contigo mostrar-te como se pesca à zagaia!",... O enganador riu-se e aturou-me pela última vez sem se descoser.
Quando chegou a casa, mandou-me um email com o título "Pé direito 2011" e com a foto que se segue anexada.


Sou obrigado a meter a viola ao saco, a desligar a "música" e a aturar a dele a partir de hoje! Ahahahahhahahaha!
Só me resta dizer Parabéns pela estreia (seus cagões)! O primeiro milho é para os pardais! Ahahahahah!

Relato do Urubu:
Eram 17,30h estava eu sair do emprego cheio de pika para ir dar a 1ª varada (salvo seja) do ano numa fujidinha porque só tinha 2 horinhas antes de ir buscar a patroa ao emprego,liguei ao meu amigo Treklas do gang Anaconda para ir mandar o aço (ferro) e prontamente disse que sim.
Ao chegar ao spot o mar não parecia estar mal de todo e lá fomos nós na tentativa de estrear o ano em grande para calar a boca a um certo indivíduo que anda a cantar de galo.
Eu e o jorge lá começamos a desgastar os vapores das festas Natalicias e quando tal eu engato a minha 1ª lubina do ano,estava eu a desferrar o peixe o Treklas também engata o dele,o peixe já quase em seco e logo abriu a boca....foi-se,este já pode dizer que ganhou o dia e talvez o ano.
Depois de mais alguma insistência nossa,o Treklas volta a engatar mais outro peixe,mas esse já não teve a mesma hipótese,veio directamente para o SACO....eram 20h e lá tivemos que regressar a muito custo,porque cheirava-me que no virar da maré ainda podia pintar mais algum pexinho.
Mas para começar o ano já foi bem bom,principalmente para calar a boca de um dos elementos do trio da cueca molhada. CHUUUUPPPAAAA.

P.S - Dedico este pexinho ao nosso amigo aniversariante CharleS Albert (XNT).

Abraço e continuação de um excelente 2011
Urubas