segunda-feira, 25 de abril de 2011

Last but not least ...

Ontem por volta das 22:00 tinha combinado com o Jerbey e com o Zeca fazer um spinningzito uma vez que o mar tinha caido.
Eram 6:05, já estava o Jerbey à porta da minha casa sempre pronto para comer um bolinho de chocolate caseiro.Isso NUNCA é demais !!
Chegamos ao pesqueiro o dia já se encontrava a clarear e já lá se encontrava o Zeca, semi-pronto, a praguejar à nossa espera.Monta-se as canas, as amostras e toca a rumar à praia.

Como o meu FCP, como sempre, me tem dado alegrias, toca a montar uma Saltiga Sardine !1,2,3,4,5 lançamentos até que o Zeca ao meu lado engata um autêntico Bezerro !!!
TZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ..... Peixe-pedra -ahahahahahha . Lá foi uma Macua para o galheiro.
Rumamos a sul a um pesqueiro onde já fui feliz.Eles prontamente começaram a pescar, mas eu achei que não valia a pena visto que se encontrava muito vaza a maré ainda.No meio desta ansiedade, eis que decido fazer uns lançamentos.À minha frente tinha uma autêntica barreira de pedras, e conseguir tirar um peixe por ali ia ser díficil.Vai FERRO.
Logo ao primeiro Lançamento, e já quase a chegar a essa barreira de pedras ZÁSSSS , carreto a cantar......O peixe tenta afundar e o meu instinto e com a ajuda de uma onda foi atravessar esse fileiro de pedras.Peixe já "seguro" e como diz o Urubas ! SACOOOOOOOO
Meti o peixe numa poça que a olho parecia " fechada".Uma meia hora depois, vem uma onda que me inunda a poça e eu penso cá para mim:" Já foi !!!! Foda***
Eis que vejo um bafejar dentro de água, o peixe encontrava-se entalado numa ranhura.Se o peixe tinha menos umas 100g já era.

O Zeca ainda conseguiu livrar a grande capturando e libertando um Mike (miki), enquanto que o Jerbey se encontrava "pedrado" de sono ! aahahha

Como não tinhamos máquina, decidi tirar as fotos em casa.Pessoalmente, gosto mais de fotos com peixes tiradas no pesqueiro, mas, foi o que se arranjou.

PS: Peço desculpa pela qualidade, mas foi tirada por um miúdo de 5 anos !

Este é dedicado a todos aqueles que andam ao "cheiro", e escrevem comentários difamadores a pessoas que tratam a pesca como um HOBBIE e só se querem divertir e fazer amizades.
Amigo, os meus NINGUÉM os tira !!

Abração

sexta-feira, 22 de abril de 2011

A aula do Professor Cuco - equipado para matar!


O meu amigo Sérgio, carinhosamente conhecido desde os tempos da Faculdade por "Cuco" (por ser natural de Cucujães), voltou hoje à carga comigo e com o King John.
Desta vez, depois de já nos ter acompanhado de calçãozinho e "xanatas" (ahahah) mas segundo o próprio "sem ter frio nenhum", foi equipado para matar!
Foi uma manhã de muita chuva, mas repleta de boa disposição e que culminou com uma aula do Professor Cuco!



Aquele abraço! ;)

segunda-feira, 18 de abril de 2011

O recorde de todos os recordes!

Era um fim de sábado como tantos outros. A meio da tarde e a pedido da minha filhota resolvi ir para a praia com ela, com os avós e com a bibó. Inevitavelmente o material de pesca tinha de ir comigo e o meu pai também levou o dele.

Montado o tapa-vento e o guarda-sol, afastamo-nos das nossas meninas para fazer uns lançamentos. O mar levava força e o vento de norte chegava a ser incómodo, mas já que ali estavamos não custava nada tentar a nossa sorte.

O meu pai não se quis afastar muito, mas eu resolvi sondar vários spots. Percorri longos metros pela praia até que cheguei a um local que fazia uma baía, e onde fiquei abrigado do vento por um correr de pedras. Ao fim de umas dezenas de lançamentos deparo-me com um espetáculo indescritível: eram milhares de sardinhas a entrar naquela baía, num frenesim, a fugir de algo... Lancei de imediato a minha zagaia para o meio da confusão. No primeiro lançamento nem toque. No segundo, mal a zagaia cai na água, forma-se um vulto na água, que foi ganhando forma até que uma barbatana sugiu fora de água! Parecia um tubarão! A barbatana desenhou um trilho na água em direção à minha linha e em milésimos de segundos senti uma pancada a sério! Pensei que nem a cana, nem a linha, nem o carreto fossem aguentar tamanha foi a paulada! Os minutos que se seguiram foram uma eternidade! Fizeram-me lembrar o título do livro desse grande escritor contemporâneo Jorge Nuno Pinto da Costa: "Longos dias têm cem anos"! Ahahahahah!

Aos poucos, as pessoas que estavam na praia, aperceberam-se que eu estava a lutar com algo poderoso, e abeiraram-se do local. Este espetáculo sui generis parecia interminável, pois tão depressa recolhia 20 metros de linha, como perdia 30 ou 40. Como sempre, qualquer ajuda é bem vinda, e dois homens que "mariscavam" pelas redondezas, devidamente equipados com fato de mergulho e luvas, entraram na água para tentar agarrar o animal que se debatia com bravura. Com a ajuda de uma onda e ao fim de mais de uma hora de luta, já exausto, consegui colocar um bonito golfinho nos braços dos dois homens. Com algum esforço dos mesmos, o mamífero foi trazido até à areia, tentando minimizar qualquer tipo de lesão, a zagaia foi retirada com todo o cuidado e foram tiradas as fotografias de circunstância.




Foi nessa altura que um dos mirones me questionou sobre o destino da captura e a resposta foi pronta, tal como a acção: vai voltar para onde nunca devia ter saído! Uma última contemplação, um pedido de desculpa em silêncio e a libertação seguida de uma salva de palmas de todos os presentes (que na altura já não eram poucos).


Satisfeito pela acção e ansioso por voltar a casa para contar o sucedido aos meus amigos, corri em direcção à minha família ainda com as pernas trémulas. Também eles ficaram estupefactos e contentes com o sucedido. Rumamos a casa e a primeira coisa que fiz foi telefonar aos meus amigos Urubu, Rei João e Mestre Varadas. A primeira reacção de todos eles foi de surpresa e espanto, mas os telefonemas foram curtos (para evitar prestar grandes detalhes) e terminaram com a promessa de fotografias no email e de um post neste blogue.

Quando viram as fotografias no email, todos eles enviaram os parabéns. Os do Urubu foram tão sinceros, que não consegui prolongar a "peta"! Ahahahah! Ele era o único que não a merecia! Ahahaha! Mas os outros comeram-na e dormiram a sonhar com ela, sem levantar questões dada a força da imagem! Ahahahah!


A verdade verdadinha, é que este blogue não teve direito a post típico do 1 de Abril pois o Cotinha nesse dia foi um senhor ao apanhar uma bela truta. Serve o presente post, ao retardador, para compensar! Ahahahah! Serve ainda, para demonstrar a força de uma imagem, o que infelizmente muita gente usa por rotina para os mais variados fins...


Resta esclarecer todos os leitores, que o golfinho da foto estava morto na praia e já com alguns sinais de putrefação e não foi em momento algum minha intenção desprezar o animal, pois muito me custou deparar-me com ele naquele estado. Prefiro vê-los quando pescamos de barco e nos vêm cumprimentar alegremente e, pontualmente, mesmo na praia como sucedeu no ano passado em S. Jacinto. Curiosamente, neste dia foram avistados muitos golfinhos em algumas praias mais a sul, o que ainda tornou a minha "peta" mais credível! O Urubu referiu no fórum Katembe que um grande amigo tinha pescado um golfinho, quando alguém referiu que os teria avistado! Eu sinceramente não sei quem foi! Eu não fui! Ahahahah! E ainda bem!

Resta dizer que não bati o recorde de todos os recordes no que ao peso de uma captura diz respeito (esse pertence ao Mestre Varadas), mas bati o recorde dos recordes das "petas" e destronei sem dó nem piedade o rei das Petas, mais conhecido por King John, pelo menos por 2 dias! Já merecia!


O importante não são os recordes, mas as amizades que se criam, as pessoas que ficam felizes por nós sempre que somos felizes e especialmente as pessoas que sorriem conosco e nos fazem sorrir!


Peço desculpa se o post fere a sensibilidade de algum leitor, pois não foi feito com essa intenção.

sábado, 16 de abril de 2011

Sozinho e Perdido

Olá malta!

Depois da boa maré que o Valadas fez, fiquei em pulgas em tentar acabar a semana em grande......e assim foi!
Liguei ao Pedro Esticoin para fazer companhia,mas estava exausto depois de 24h a trabalhar e cortou-se. Sempre que o convido e não pode comparecer em vir mandar o aço tenho tido sorte em facturar o meu peixinho da praxe ahahahahah. Liguei ao outro mijãozinho "Valadas" que já tinha feito a maré do dia,mas também não pode vir ter comigo porque ainda estava no curso intensivo de pesca eheheheheh.
Cheguei ao spot que não estava nada mal, tinha ainda um pouco de vento de noroeste mas nada de especial,reparei em dezenas de gaivinas a mergulharem atrás de comedoria e zasss boião para o liquido! Lançamento atrás de lançamento, mudei para a zagaia e nada de nada.
Parece impossível que não anda peixe, tacho não falta....tem que andar material! Continuei a insistir até fazer o virar da maré e já com a maré a encher e o sol a pôr-se, mudei de spot e logo no 1ºlançamento engatei um "MICRO MIKI" que foi prontamente devolvido ao seu habitat. Após mais uma dúzia de lançamentos zaaaasssss! Já foste! Fui bem recompensado com mais um belo labrax que andava sozinho e perdido......


Abraço
Rui Urubu

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Aula do Mestre Varadas


Esta foto é dedicada ao corajoso que tem vindo a insultar de forma anónima os meus amigos.
Parabéns Varadas por mais uma aula!

domingo, 10 de abril de 2011

Sempre a destrocar!

Este ano tem sido bastante profícuo em robalos. Nos primeiros meses, foi a zagaia a dar cartas. Nos últimos dias, a subida da temperatura ambiente fez-se acompanhar de um aumento considerável da temperatura da água do mar, que chegou a estar a 18ºC aqui pelo Norte! Avistaram-se os primeiros grandes cardumes de lingueirão e, com eles, os espetáculos habituais das gaivotas e gaivinas a refastelarem-se em grandes banquetes. Inevitavelmente, os nossos amigos Robalos não podiam faltar à festa e fizeram questão de se exibir à superfície! É sempre um prazer avistar os trilhos destes predadores à superfície! Neste cenário, a escolha teria de ser a pesca com o boião, que se revelou eficaz, mesmo com um mar grandito. O grande entrave foi o vento forte, que acabou por obrigar ao abandono precoce de sessões de pesca que seriam históricas sem ele. Mesmo assim, continua a ser sempre a destrocar!


Fica um vídeo de 2 capturas, uma do Valadas e outra do Urubu, num ambiente espetacular para quem gosta da pesca ao robalo.



O Valadas nem merecia o vídeo publicado, pois tem sempre de chorar quando um Amigo tem um peixe fisgado... e desta vez o choro terminou com a desferragem do peixe... hás-de ter muitos Amigos! Heheheheheh! Fica ainda uma foto do Urubu com mais um bonito labrax! Este ano não dá hipóteses a ninguém!
Para terminar, resta informar os leitores assíduos do blogue que a saga interminável do Rei João continua, na busca do primeiro labrax de 2011! Ahahahah! Penso que será esse o motivo pelo qual ainda não colocou qualquer post da sua autoria aqui... e agora nem comenta os dos Amigos! Ahahahah! Grande macumba contra o feiticeiro! Ahahhaah! Quando (finalmente) se safar, lá teremos de o aturar... mas até já temos saudades!

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Novo logotipo "Robalos Hotspot"


O "Robalos HotSpot" já estava a merecer um novo logotipo, quer pela sua longevidade (desde a sua criação que mantinha o mesmo aspecto), quer pela contribuição alargada que recebe hoje em dia, não só minha como acontecia de início, mas também do Rui Urubu, do Rei João e do Cotinha.

Esta "nova face", mais uma vez da autoria do meu cunhado Bruno Marques, é assim representativa do Trio da Cueca Molhada e Cotinha, dos laços que nos unem e do amor que todos partilhamos pela pesca e pelo mar.

Espero que gostem!

O meu muito obrigado ao meu cunhado pelo trabalho irrepreensível!

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Avisei que o post nr.100 era meu

Pois é camaradas, como o título menciona tenho o prazer de descrever no blog do meu grande amigo José Pedro Esticoin Flecha Cruz, mais um bom momento no qual fui muito feliz!
Saí do trabalho e lá fui eu até casa dos cotinhas para ir buscar o material da pesada e ir dar neles cheio de pika! Cheguei ao pesqueiro e o mar estava altamente com pouco vento e bota shake para o liquido.
Já mesmo no cair do pano, "pôr do sol", lá consegui enganar mais um labrax com a medida legal e lá veio este menino ter comigo à boleia numa bela onda até aos meus pés!


Entretanto entrou a noite e continuei a insistir mais um pouco para ver se obtinha mais algum exemplar e assim lá consegui enganar outro mas mais pequeno.


Valeu bem a pena ir dar banho à minhoca e esquecer um pouco o trabalho para regressar até casa com a maré feita.....

P.S - Eu avisei-te que o post nr.100 era meu. Lololol

Abraço
Rui Urubu

sexta-feira, 1 de abril de 2011

“ENTRADAS DE LEÃO...”

Ainda não eram 4 horas e 45 minutos e já estava pronto para descer à garagem e partir rumo a Pisões. Tinha deixado tudo arranjado – as canas, os espetos, linhas, anzóis e chumbeiras, três frascos de “trout bait”, um boné, um agasalho e botas de pesca. Nem sempre sou tão meticuloso, mas desta vez justificava-se por duas razões – ia sózinho (o Pedro estava de serviço) e estreava um novo carro, um Nissan Juke, branco, lindo, lindo, lindo...

Até Braga deu para conhecer bem o carro e para tomar o pequeno-almoço. Depois seguiu-se a parte mais difícil da viagem, mas o carro comportou-se muito bem nas curvas, saindo com facilidade sempre que precisei de ultrapassar veículos mais lentos e, em especial, aqueles que rebocavam barcos com destino a Pisões. Todos os anos é esta autêntica romaria no dia 1 de Abril. Sem querer ser exagerado, parece-me que o fluxo de trânsito neste dia e nesta estrada nacional é maior do que num mês qualquer inteiro! São centenas de carros e dezenas de barcos...

A viagem correu bem e quando cheguei a Parafita (o meu local escolhido) o dia já clareava, mas o sol ainda não aparecera. Equipei-me com toda a calma, vesti um agasalho (estavam 6 graus...) e lá desci para a albufeira. O local que tinha pensado já estava ocupado. Escolhi outro e preparei a primeira cana, com um tenso duplo em que meti “trout bait”laranja e vermelho. Lancei curtinho e pus a cana no espeto, enquanto armava a minha cadeira de descanso...

Só depois armei a segunda cana. Quando me preparava para iscar, vejo a primeira cana a abanar desalmadamente. Dei uma pequena corrida, segurei a cana e intuí, de imediato, que era uma boa truta. Tinha a embraiagem no ponto certo e passados dois minutos já tinha a trutinha ao meu lado... Trutinha é uma expressão de carinho, já que o espécime tinha quase um quilo! Pensei logo que uma vez mais se ia cumprir o velho provérbio “Entradas de leão, saídas de sendeiro...” Reagi ao pessimismo e tratei logo de mandar um MMS ao Pedro, com fotografias, para lhe roer a alma...

Durante mais quatro horas tentei de tudo – lançamentos longos, curtos, misturas de cores nos iscos, etc.. O panorama não era animador; à minha volta havia duas dezenas de pescadores e só um conseguiu repetir o meu feito; os barcos que passavam ao largo não davam sinais de actividade. Enfim, um dia lindo, apesar do vento incomodar um bocadinho, mas quanto a trutas só aquela, quando o sol começava a romper a aurora...


É claro que para quem gosta de pescar, não é só o acto de fisgar o peixe que importa. A preparação, o ambiente, as conversas de circunstância, a expectativa, tudo isso é pesca. Para mim, estar naquele ambiente rural, lindo e simultâneamente inóspito, sentado comodamente, com os raios de sol a acariciarem-me o corpo, é já um grande dia de pesca! Penso com pesar no meu filho Pedro, que este ano falhou o compromisso “vitalício” ( mas com justificação), penso no meu grande ídolo, que foi o meu Pai, que hoje cumpria mais um aniversário, penso na minha adolescência e em todos que me ajudaram a ser o que fui e sou.

Decididamente, foi um grande dia de pesca! A truta só ajudou... E, claro, tentei até ao fim contrariar o provérbio supracitado. Se tivesse pescado mais uma truta, tinha pensado mesmo mudar o provérbio, que ficaria assim: “Entradas de dragão, saídas de Dragão...” Paciência, fica para a próxima oportunidade, que pode muito bem ser dia 10 deste mês, data para que está agendada uma saída conjunta para o alto-mar.

PS – Falta só dizer que a jornada por Pisões contou, como é habitual, com um excelente almoço (costoleta de vitela) no restaurante Montanha, em Montalegre. O regresso correu muito bem. Destes movimentos não há fotografias... As outras foram feitas com telemóvel e, por isso, não têm a qualidade habitual sempre patente neste blogue.