quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Mascarado de pescador

Hoje de manhã aproveitei o dia de folga para fazer o que mais gosto. Levantei-me à hora do costume como se fosse trabalhar, mas fui pescar. Devido ao frio considerável, nesta época Carnavalesca, saí de casa mascarado de pescador
Chegado ao spot, a máscara era mais do que necessária, pois estavam 4ºC! Nos primeiros lançamentos, depois de umas braçadas na água gelada, nem sentia os dedos!
Pouco a pouco o sol ergueu-se no horizonte, revitalizando os meus dedos e tornando óbvio o motivo da ausência de qualquer toque – a água estava cristalina, tão aberta que eu conseguia ver o fundo do mar a uns 30 metros de distância. A minha fé ia esmorecendo a cada lançamento, até que sinto um pequeno toque que pensei seria da amostra na rocha (até porque a maré estava no fim da vazante), mas não era! A Angelkiss estava a cerca de 1,5m de mim e vi claramente um pequeno robalo a ataca-la sem se ferrar. Parei de corricar e enquanto a amostra subia em direcção à superfície, parada, ainda levou uma nova investida. Mesmo sem ter o peixe ferrado, fiquei novamente em pulgas e com fé renovada.
Apostei num passeante e depois num pencil, sem sucesso. Via os peixes nas ondas, mas não queriam nada à superfície... a água tão aberta e tão fria não ajudava... Voltei aos jerkbaits, mas a uma cor mais natural – sardinha – e lá foi a Tide Minow de 17cm nadar! A maré já tinha repontado e enchia há pouco mais de 15 minutos. As ondas começaram a crescer e a rebentar fora, trazendo um manto de espuma até à costa. Pouco tardou a ter o primeiro robalo ferrado, novamente bem perto de mim, mas com menos timidez graças à capa de espuma. Pu-lo a seco e fiz este pequeno filme:



Logo no lançamento seguinte, novo ataque, mais impetuoso! Luta agradável num local difícil e peixe içado até aos pés! Novo vídeo:



Mais 5 lançamentos sem êxito e despedida com muito custo pois o melhor estava certamente para vir, mas outros afazeres se impunham...


Continuação de bom Carnaval!


PS - Depois de trabalhar durante a tarde, ainda desencaminhei o meu amigo Cuco para uma sessão de spinning nocturno. Pescamos pouco mais de hora e meia e estreei-me a capturar robalos com vinil. Fica aqui então o terceiro robalo do dia:



Abraços!

domingo, 19 de fevereiro de 2012

O BURACO, AS LAPAS E O PEIXE-LUA SUICIDA

Não há melhor forma de começar uma crónica de pesca do que recorrer a um velho aforismo celebrizado entre os pescadores. Há, então, quem defenda que na pesca “há dias do pescador e dias do peixe”.
O último sábado foi, sem sombra de dúvidas, Dia do Peixe! Esta afirmação não significa que não haja muito que contar da jornada.
Vamos então por partes. A ação de pesca decorreu ao largo de Viana do Castelo e começou quando o sol ainda não tinha aparecido. A bordo do Kiko seguiam o seu proprietário (o Barros), o Pombal, o Zé Pedro e, claro, eu. Todos animados com a perspetiva de um excelente dia de pesca de gorazes e de carapaus, apesar do intenso frio matinal.
Começamos a pescar a noroeste do porto de Viana, a 18 milhas da costa, e com um mar “chato”, agravado pelo facto do barco ter ficado aproado com um rumo diferente da ondulação. Todos sentimos as consequências do balouçar da embarcação, mas o mais afetado acabou por ser o Zé Pedro, que não resistiu muito tempo e teve de fazer sucessivas pausas ao longo do dia para recuperar do enjoo... E tudo terá começado logo no primeiro lançamento, com a estreia do seu novo carreto elétrico, indispensável para uma pesca a mais de 120 metros de profundidade e com chumbadas de 300 gramas! Pois bem, apesar de ter lido o manual do novo equipamento, a verdade é que após o primeiro lançamento, o Pedro notou que ao recolher a linha esta se juntava apenas numa das extremidades do carreto. Foi precisa a intervenção do Pombal, ótimo a resolver problemas, para se chegar à conclusão de que o Zé Pedro se tinha esquecido de enfiar a linha pelo buraco do distribuidor do carreto... Uma falha imperdoável, já que eu, como pai, sempre lhe disse que havendo buracos é para enfiar!!!
Quanto à pesca, foi como disse um Dia do Peixe, ou seja, há pouco para contar. O Barros ainda assim fez jus à sua condição de anfitrião e foi o que mais peixes conseguiu. Isto não quer dizer que não se tenha tentado – fizemos várias poitadas, avançamos para profundidades maiores (até aos 147 metros), mas o resultado pouco se alterou. O Pedro teimou, teimou, apesar do enjoo, e não acabou a jornada sem experimentar as lapas que tinha recolhido com tanta esperança... Mas o resultado foi o mesmo e o êxito das lapas como isco no alto-mar terá de ser testado em próxima oportunidade. Para já só o Pedro acredita neste isco...
No final, tínhamos juntado seis gorazes, todos acima da medida regulamentar, várias fanecas (todas graúdas) e umas dezenas de carapaus dos grandes, além de uma mão cheia de outras espécies. Safou-se a grade e valeu pelo convívio entre quatro amigos, num dia em que da parte da tarde o Sol já aqueceu o nosso corpo moído pelo balouçar constante do barco...


No regresso, com o mar de feição, “voamos” a cerca de 20 nós. Já com a costa no horizonte, tivemos um susto valente. Um enorme baque, o motor a levantar e o Barros a reagir de imediato, desacelerando e suspendendo a marcha. Todos de pé a ver o que tinha acontecido, com a suspeita generalizada de que teria sido um tronco à deriva ou uma bóia de pesca a ser abalroada pelo motor. Mas a realidade foi bem diferente – um bonito peixe-lua (talvez com ideias suicidas...) não se desviou da rota do barco e foi colhido. No entanto, graças à sua estrutura óssea, e depois de uns momentos de aturdimento, o bonito exemplar desta espécie protegida (seguramente com mais de 10 quilos) lá se recompôs e seguiu a sua viagem, tal como nós.
Por aqui também se comprova que o último sábado foi, de facto, Dia do Peixe!

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Estreia da Saltiga

Boas pessoal,

Hoje recebi umas amostras que encomendei ao meu amigo Jerbey e estava numa de as ir experimentar.O Windguru ainda marcava algum vento mas nada que não desse para conseguir pescar...
Faço-me à praia e deparei-me com umas condições ideais, mas o vento era mais do que esperava.Começo a bater a praia e nada, nem toque. Penso para mim, vou meter a nova. Mudo de amostra e ao 4 lançamento tzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz sinto alguém no outro lado da linha, que grande estreia! Ainda batalhei durante mais umas horitas mas não senti mais nenhum peixe.
Deixo-vos o vídeo gravado pelo telemóvel porque não levei a máquina, peço desculpa pela má qualidade.


Abração!

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Um fim-de-semana para mais tarde recordar - dia 12 de Fevereiro - o nó abençoado!

O Domingo de manhã foi o dia do regresso. Como já estavamos com saudades da família, marcamos para as 13:30h um almoço conjunto, mas chegamos cerca de 2 horas antes. Tinha comentado no dia anterior com o Matos que contrariamente às suas bandas, pelos meus spots o mar e o vento estariam bem mais de feição. Por isso, ao chegar cedo  pedi à minha esposa para me deixar na praia enquanto iria fazer algumas compras. Assim foi e ainda bem. Enquanto preparava o material e vestia o fato ainda molhado do dia anterior, lembrava-me dos belos cenários por onde tinha passado e da excelente companhia... mereciam que lhes dedicasse os próximos peixinhos...


Com tudo preparado, lá me fiz ao Mar, ainda com o terminal 0,50 com o nó ao multifilamento feito pelo Mini-Master. As condições estavam boas - ondas com cerca de 1 metro e algum vento, mas de Leste que até ajudava a lançar mais longe. Apostei numa MaxRap de 17cm e, pela primeira vez na minha vida desde que pesco ao spinning, apanhei um peixe no primeiro lançamento! Engraçado que tinha sido tema de conversa no jantar da noite anterior e apenas o cagão-mor Matos já o tinha feito! E não é que a conversa me deu sorte?! Tanta sorte que em pouco mais de meia hora tinha pescado 3 robalos, pena que pequenos, mas já deu para fazer o ânimo disparar! Afinal aquele estava abençoado! Ahahahah!
Estes peixinhos, são por isso, dedicados ao Mini-Master, que por sinal até faz hoje aninhos! Parabéns Master Obiwan Minobi!


Por tudo isto, foi um fim-de-semana para mais tarde recordar!




segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Um fim-de-semana para mais tarde recordar - dia 11 de Fevereiro - a partilha de carne e osso

Eu não podia passar na terra do "Mini-Master" sem mandar o aço! Por isso, a pescaria tinha ficada marcada para  o nascer do dia. Eu já tinha avisado que chegaria mais tarde, para aproveitar o pequeno-almoço no quarto! Ahahahah! O mal foi que quando acordei reparei que me tinha esquecido de levar lentes de contacto (diárias). Que chatice! Já não bastava ir tarde e a más horas, ainda tinha de ir tipo Mr. Magoo! Nem pensar! Saí do hotel rumo ao spot combinado, com uns óculos que só uso para ver televisão e cuja graduação está mais do que desactualizada. Mesmo assim, fui lá ter direitinho e sem sobressaltos. À chegada, vejo o bólide vermelho do Master, mas o Mini pescava bem longe!




Queria explicar-lhe o sucedido e a razão da não comparência, mas nem com berros e assobios se apercebeu da minha presença. A rede de telemóvel na zona também não era a melhor, pelo que tive de deixar um recado no vidro traseiro do bólide (pena não ter fotografado! Ahahahah!). Entretanto, desisti de pescar durante a manhã e fui ao centro de Alcobaça à procura de uma Óptica. Imaginem onde fui encontrar as lentes de contacto? Numa loja mesmo em frente ao Mosteiro de Alcobaça, onde a minha esposa fazia questão de ir durante este fim-de-semana! Afinal nem tinha calhado muito mal, ia ter a tardinha toda para pescar! Ahahahah!


Acabou por ser uma visita interessante e romântica, ou não tivessemos visitado o túmulo de D. Inês de Castro, protagonista de um dos maiores romances da nossa História (embora com um final trágico).


Poucas horas depois, a desejada tarde de pesca chegava! Quando cheguei ao spot, já o Mini-Master e o Quitério SpinnMaster - team lá estavam, ambos dentro dos respectivos carros a descansar da investida matinal. Conversamos um pouco e preparamo-nos para descer a falésia rumo ao Mar. Os nossos Amigos Zé Kayowx Pescar com Kaywox e Pedro Soeiro Mar e robalos viriam ter conosco posteriormente, pois tinham tido um furo pelo caminho.
Com um furo nos waders ficou o Mini-Master depois de se espalhar ao comprido enquanto descíamos em direcção ao Mar! A sorte dele foi ir na frente e não ter sido eu a espalhar-me, senão em vez de ter furado os waders tinha sido esmagado! Ahahahah! Estava visto que o Master estava nervoso e a acusar a pressão de jogar em casa! Ahahahahah!

Percorremos o imenso areal, até ao sol se pôr, sempre a dar banho aos nossos artificiais e estas foram algumas das capturas efectuadas:





Como se constata pelas imagens, não capturamos nenhum peixe mas iríamos fazê-lo no prato finda a pesca. A Dona Celeste preparou-nos um bacalhau com natas de comer e chorar por mais! Bem que merecíamos depois de subir aquela ravina! E foi num clima de amena cavaqueira que decorreu o jantar, onde ainda se juntaria a nós o Master Silva!


À volta desta mesa, pessoas bem diferentes em muitos aspectos, mas com pelo menos uma coisa em comum: o amor pelo Mar e pelo Spinning. Pessoas que partilharam diferentes pontos de vista, diferentes opiniões, diferentes experiências... mas que acima de tudo se respeitaram e não tentaram impôr nada aos outros!
É disto que eu gosto na Pesca! Isto é Pesca!

Foi um prazer conhecer as pessoas de carne e osso que os blogues escondem e aprender com elas. Foi sobretudo bom, partilhar um pouco de nós e receber um pouco dos outros! Obrigado! Bem hajam! Até sempre num qualquer spot junto ao Mar plantado! ;)




domingo, 12 de fevereiro de 2012

Um fim-de-semana para mais tarde recordar - dia 10 de Fevereiro - "Mini-Master"!

Na Sexta-feira, dia 10 de Fevereiro, saí do trabalho às 8 da manhã, cheio de vontade para chegar a casa, onde me esperava a minha esposa para partirmos para um fim-de-semana diferente. Pela viagem ainda trataríamos de assuntos profissionais pendentes, mas depois seriam 2 dias só para nós! Já não me lembrava da última vez que tínhamos saído só os dois, sem as filhotas... mas sabíamos que elas estavam bem entregues com a Avó e o Tio. O destino era Alcobaça, escolhido não só mas também (como quase sempre) devido à proximidade do Mar e à  possibilidade de ir pescar. A viagem que tinha tido início às 8 da manhã em Viana do Castelo e que teve paragens obrigatórias na Póvoa de Varzim (onde moro) e no Porto (onde tinha assuntos para tratar) chegou ao seu fim em Alcobaça por volta das15:30h. Arrumadas as malas, fui ter com o meu Amigo Matos do blogue http://spinnmaster.blogspot.com/. Encontramo-nos no Sítio da Narazé - um local esplendoroso, com uma vista fantástica sobre a cidade e sobre o Mar. Como estava uma ventania de outro mundo, impeditiva de pescar, o Matos fez de cicerone e mostrou-me alguns dos seus "secret spots" ao longo de dezenas de quilómetros de costa! Foi muito interessante e enriquecedor constatar as enormes diferenças entre os spots onde pesco habitualmente e aqueles que tive oportunidade de visitar. Eram praias imensas de areia dourada protegidas por falésias altíssimas, que este ano por sinal, o tempo tinha moldado a seu jeito, metendo ainda mais areia do que o habitual e escondendo as rochas onde eu tanto gosto de pescar. Do alto dessas falésias contemplamos o mar em todo o seu esplendor, que exponenciava a nossa pequenez!






Tentei guardar em fotografias múltiplas o que vos descrevo, mas tal como as palavras, não fazem jus àquele cenário.

A única foto que de facto faz jus às reais dimensões é a que se segue - Eu e o meu Amigo Matos - desde este disparo re-baptizado "Mini-Master"! Não sei se sou eu que sou muito grande, ele que é muito pequeno, ou as duas coisas...


Entretanto a noite chegava e ainda deu tempo para visitar duas lojas de pesca e despedirmo-nos até ao dia seguinte. Foi um prazer conhecer pessoalmente alguém que há muito tinha como Amigo e com quem troco ideias habitualmente! Além de grande "spinmaster" é um master a receber!

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

O seu a seu dono!

Como os seguidores assíduos do nosso blogue bem sabem e podem constatar em todos os posts, não somos de fazer publicidade (boa ou má) a marcas. Utilizamos o material que gostamos e que os nossos bolsos permitem. Pontualmente fazemos referência à cana, carreto, linha e amostra com que efectuamos determinada pescaria, mas sempre sem segundas intenções ou com intuito de obter dividendos. 
As opiniões que partilhamos neste blogue, valem o que valem, pois são de carácter estritamente pessoal, mas têm a mais valia de não serem compradas ou patrocinadas. São assim independentes, não condicionadas por terceiros e o mais honestas possível. 

Esta é apenas mais uma opinião que vou partilhar, ainda relativa a uma cana partida em acção de pesca (com o maior robalo da fotografia do actual título do blogue). Tratava-se de uma Shimano Lesath AX Power Game de 3,30m que "explodiu" em 5 locais em simultâneo durante a luta com o peixe, com a particularidade de partir nas zonas dos passadores. Podem  ler ou reler o relato dessa pescaria de 12 de Outubro aqui:

http://www.robaloshotspot.com/2011/10/radical-ate-partir.html

Na sequência  deste incidente, levei a cana à loja onde a tinha comprado - GAIAPESCA. Fui, como sempre, bem recebido pelo seu dono e meu Amigo Toninho, que assumiu desde logo inteira responsabilidade pelo sucedido e tratou de enviar a cana para a Shimano (Normark Portugal). Após análise pelos técnicos, foi constatado o defeito de fabrico e foi garantido ao vendedor que seria enviada uma nova num prazo de uma semana. Essa semana prolongou-se até ao dia de hoje e nestes mais de 3 meses de espera, houve justificações e propostas de bradar aos céus! Na realidade, só foi possível contornar os obstáculos levantados entretanto pela Normark Portugal através do contacto directo efectuado pelo lojista com um representante Espanhol da Shimano, que em três dias colocou uma cana nova na loja ao meu dispor sem qualquer custo.
Destaco que só não apresentei uma queixa na DECO durante este período, por amizade, respeito e confiança no vendedor que a meu ver tudo fez para resolver a bem a situação.

Na minha opinião - fundamentada pela experiência descrita, e porque tenho há vários anos material Shimano bastante dispendioso (Canas Shimano Beastmaster, Diaflash, Lesath, Carretos Shimano Technium, Twin Power, Stella, Stella SW, etc...) - a qualidade da representação da marca em Portugal não condiz com a fama que a mesma conquistou à custa da qualidade patente nos seus produtos. Com isto, todos ficam a perder: nós os pescadores, os lojistas e, sobretudo, a Shimano.

Para terminar, e numa altura em que a crise financeira que vivemos faz com que sejamos cada vez mais criteriosos nas nossas compras e nos locais onde as efectuamos (sendo que a concorrência de lojas online é cada vez maior), a qualidade da assistência prestada pelas lojas físicas será sempre um factor primordial na hora de adquirir material. Quero, por isso, neste contexto, enaltecer a postura da loja GAIAPESCA. O seu ao seu dono! 
Outro pormenor não menos importante é que as lojas em que depositamos confiança comercializam outras marcas que muitas vezes, apesar de não gozarem do mesmo tipo de fama, têm tanta ou mais qualidade nos seus materiais e, sobretudo, na assistência prestada. Depois deste espisódio descrito, vou considerar seriamente as ofertas das outras marcas...

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Alteração nas malas das amostras

Para quem quiser poupar uns cobres, aqui vai uma dica de como cabe uma amostra de 18cm numa mala nbs.O procedimento para a mala Shimano é exactamente igual, e cabem bem as amostras de 17cm.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Contra todas as teorias

As baixas temperaturas sentidas nos últimos dias têm sido um impedimento para umas nocturnas, porque o mar tem-se apresentado calmo (até demais). Acabado de sair das aulas, cheguei ao pesqueiro eram 19:00h.
Enquanto montava a cana, fisgava um zona de pedra onde o mar estava a “trabalhar” bem. Cheguei ao pesqueiro e estava fenomenal, daqueles dias onde pensamos que tem de andar por aqui algum peixe. Mas não andava, lançamento atrás de lançamento……… toques atrás de toques e nem um peixe, comecei a desanimar. Mudo de sítio para uma praia longa, com baixos e cheia de areia (para alguns não há peixe em praias de areia. Vá-se lá saber porquê).
Começo a bater a praia, lançamentos curtos, lançamentos longos e não havia maneira de conseguir enganar um labrax. Vem-me ao pensamento ligar ao Rui “Urubu” e fazer uma pausa, quando uma onda maior se forma. Eu, apesar de estar de fato, não me quis molhar e corri para trás deixando a amostra dentro de água.Sem prever estico a linha, dou duas maniveladas e tzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz! Finalmente, um robalote. Como o peixe se farpou na escoa, pensei que a arrancada que fizera mar dentro se devesse a isso, não podia estar mais enganado. Enquanto dava três maniveladas, ele levada 5 tzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz, pensava eu: "Estou lixado, sozinho e com um bom peixe, como é que o vou buscar à escoa "?
Para meu espanto, o robalo debateu-se parecendo um achigã, aparecendo fora de água para se tentar desferrar! BRUTAL ! Alguns palavrões pelo caminho, já se ia aproximando de mim, quando vejo finalmente o Animal à tona nem queria acreditar no seu tamanho. Aproveito uma onda maior para o trazer até mim, mas o peixe em 30cm de água ainda arrancou em direcção à escoa, já estava a ver a coisa mal parada…… Mas nunca deixei de ter a linha tensa! Mais meio minuto, e numa outra onda consegui metê-lo em seco, e mando-me para cima dele para o agarrar….. ahahahhahaha! Já não escapas! Ainda fiquei uns minutos completamente pasmado a olhar para esse magnífico exemplar e sem dizer uma única palavra.


Ligo ao Urubu para lhe contar e as palavras saiam-me a tremer……. A adrenalina ainda corria no sangue. Alguns telefonemas da praxe e ligo ao Zé Pedro quando ele me diz que o Rui lhe tinha contado e já vinha a caminho. Quando chegou apercebeu-se da “gravidade” da situação ahahahahahahah, deu-me os Parabéns e ficou tão feliz como eu que o tirei. Tive pena dos meus Amigos não terem estado comigo quando o engatei, pois adorava partilhar este momento com eles e claro , dar-lhes a tanga do costume ! ahahahh



Tirando as fotografias é que me apercebi do quão grande era o Robalo, porque mal conseguia pegar nele durante uns segundos consecutivos .


A lição fica que o mais importante é ir pescar, desta vez não apostava nada pois o mar estava “chão” e a água completamente cristalina, mas este robalo optou caçar pela calada da noite.
Lá se vão as teorias


Material: Shimano Speedmaster 3m 50-100
Daiwa Exceler Plus 4000E
Power Pro 0,19mm +baixo 0,40mm
Angel Kiss 140