sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Quando menos esperava...

Como vem sendo habitual, lá estava eu entre amigos em mais um encontro de membros do Pesca com Amostras. Desde bem cedo na manhã que todos davamos banho às amostras.

O primeiro a sentir um ataque foi o nosso amigo Cabé. Pouco depois foi o Zeca. Ambos os peixes foram pescados com a maré a encher (aquela em que tenho menos fé) e prontamente devolvidos à água por não terem as medidas mínimas. Já pescavamos há mais de 3 horas e a fé ia-se desvanecendo. Alturas tantas, já estava eu e o meu amigo Costinha a ver quem fazia lançamentos mais longos. Subitamente, ao lado da minha amostra acabada de lançar (que se afundava à medida que corricava) vejo um vulto brilhante na água e sinto um ataque violento.

Era um belo labrax quando menos esperava!

Mediu 82 cm e pesou 5570g.

Segue-se o vídeo, melhor que mil palavras:

Material utilizado:
-Cana Caperland Ilicium Team 2,70m
-Carreto Shimano Twin Power SFC 3000
(multifilamento PowerPro 0,15 + terminal em fluocarbono 0,37 Berkley Vanish)
- Amostra Jackson Athlete slim
Fica a lição que "até ao lavar dos cestos é vindima".




terça-feira, 27 de outubro de 2009

Não os encontrei... mas encontrei-me!

Tarde fabulosa de Outono, a fazer lembrar os melhores dias do meu Verão!
O sol brilha no céu azul e o vento procurou outras andanças.
O mar chama-me e sussurra-me que só preciso de uns calções.
É assim que me sinto bem - de chinelos e calções, sem t-shirt, sem telemóvel, com a alma limpa e vazia - e sigo o chamamento.
Sinto-me tão bem!

O cheiro a maresia... a balada das ondas que se espraiam na areia e o frenesim dos seus grãos em euforia... o silêncio de fundo que tudo realça... é aqui que pertenço!

Na minha mão direita, o prolongamento de mim, a minha cana.
Desde há breves instantes que somos um só.
Somos cúmplices e amantes.
Abraçados, passeamos quilómetros!
Paro por momentos.
Pouso a minha amante e a minha mochila e sento-me na areia.
Tudo à minha volta está tão lindo!
Apesar de nao ter encontrado nenhum robalo, é nesse momento que me encontro a mim!
Perdi a conta aos dias que estive ali sentado à espera de mim... é ali que tenho estado, sempre que me abstraio das banalidades do meu dia-a-dia.
É ali que costumo estar com a minha família quando não posso, que converso com os meus amigos quando não estão... é ali que me refugio quando a paciência acaba.
Converso comigo e reconforto-me.
Esqueço o resto...
Prometo voltar sempre que possa.
Despeço-me já com saudade.

O Sol também se despede de mim.

Até breve!

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

A mais pura emoção!





São 9 da manhã em ponto, toca o meu telemóvel e estou a tratar da minha filhota, não consigo atender a tempo. Sei que é o meu amigo Rui Sá, provavelmente já à minha espera. Aguardo ansiosamente pela chegada da minha sogra, para poder ir ao encontro do meu amigo.

09:30 - Saio de casa. Sei que a maré está vaza às 10:06. Ainda devo ir a tempo de fazer uns lançamentos naquele spot bem lá fora em que tenho muita fé.10:10 - Chego à praia, ligo ao meu amigo Rui, que se encontra um ou 2 Kilometros a Sul. Preparo o material. Deixo o telemóvel e a máquina fotográfica no carro.

10:20 - O spot que tanto gosto já leva com ondas mais ou menos fortes e tem umas 4 ou 5 pessoas a apanhar percebas. Por sentir que não estarei só e porque já só me restam uns 20 minutos no máximo até que a água me negue o prazer de ir lá lançar, avanço mar adentro. 10:30 - Chego ao spot. Está lindo! Água espetacular, cheia de espuma! Dois homens apanham percebas no rochedo em que estou, mas do lado oposto do rochedo, mal os vejo.Faço o primeiro lançamento - a amostra trabalha bem que se farta, só a vejo ao chegar aos meus pés, pois o manto de espuma só assim mo permite. Segundo lançamento - nada. Terceiro lançamento - ataque violentíssimo! Drag aberto e a cantar como nunca! Saem-me uns 3 metros de linha do carreto e sinto "cabeçadas" fortíssimas. A sensação é única. A adrenalina ferve-me nas veias! Sinto que é um bom peixe e grito por ajuda dos 2 homens que estavam escondidos no rochedo para que me ajudem. Eles não me ouvem devido ao ruído das ondas... Uma onda bate mais forte e eles têm de sair do sítio onde estão e vêem na minha direção. Ouvem o meu pedido, apercebem-se que é um peixe grande e a sua ajuda é imediata. Fecho um pouco o drag e tento puxar o peixe. Ele aproxima-se e volta a levar linha. O prazer é indescritível! Cerca de 15 minutos depois da mais pura emoção, aproveito uma grande vaga e trago o peixe para junto de um dos dois homens já meio dentro de água que agarra o robalo. Um suspiro de satisfação e um muito obrigado áqueles dois homens que foram muito prestáveis e a quem ainda tive de cortar uma das luvas onde uma fateixa ficou engatada.Admiram-se com aquela cana "minúscula" com que estou a pescar... Perguntam-me se o robalo vai para algum restaurante. Sorrio e respondo que por dinheiro algum! Vai para o meu livro de memórias e de lá não mais sairá! Aconselham-me a fazer mais uns lançamentos: "pode ser que não ande só". Sigo o conselho, mas a minha vontade é de ir ter com o meu amigo Rui e partilhar com ele tanta emoção! Chego ao pé dele, as pernas ainda tremem e a voz nem é a mesma...

Entretanto as pernas e a voz voltaram ao normal, mas espero que este texto vos possa proporcionar um pequeno pedaço de tudo o que senti!


Cana - Caperlan Ilicium team 2,70m
Carreto - Shimano Technium 5000 FA
Amostra - Maria Chase
Robalo - Comprimento: 72 cm; Peso: 4050g.