sexta-feira, 27 de maio de 2011

Medalha... Dourada

Quem gosta de pescar sabe que há dias assim. O meu filho Pedro estava com "fezada"- tínhamos de ir para Aveiro pescar às douradas. Não aderi à ideia com muito entusiasmo. Apesar desta semana ter sido dificil, física e emocionalmente, devido a um problema de saúde grave de um familiar muito próximo, a ideia de fazer uma viagem ainda longa, para pescar apenas duas horas, não me estava atrair por aí além. Mas o entusiasmo do Pedro não me deu margem para recusas. Encontramo-nos de manhã, cerca das 10,30 numa oficina, onde ele foi deixar o carro para mudar os calços dos travões. Viemos para minha casa e preparámos as canas de fundo e de bóia. Depois do almoço, o Pedro insistiu em ir comprar iscos vivos – conseguimos encontrar casulo e caranguejo da muda; do meu congelador tinha retirado uma embalagem de navalha bem fornecida. Por volta das 15,30 fomos buscar o carro e só então partimos para Aveiro. Com tudo isto, começámos a pescar já depois das 17,30. Tanto o Pedro como eu optámos pelo caranguejo como primeiro isco. Alguns toques, sem concretização. Ainda experimentámos o casulo, com os mesmos resultados. Depois a foi a vez de tentar com a navalha, que ainda estava praticamente congelada... Amarrei-a bem e fi-la subir pela linha, formando um belo e apetitoso isco. Foi dito e feito – uns toques curtos, mas firmes, e a primeira dourada fisgada. Carreto bem fechado, para ela não fugir para as pedras, e a cana a trabalhar o peixe; alvoroço em mim e no Pedro, porque na linha apareceu primeiro... um saco de plástico! Um pouco atrás, no entanto, lá apareceu uma bela dourada, a maior do dia, com quase dois quilos...

Como a idade não perdoa, ia estragando tudo; a distância à água era superior a três metros e como calculei mal fiquei com o peixe a peso, a prumo, sem possibilidade de o levantar com um único movimento; a solução foi o Pedro puxar pela linha (o que nunca se deve fazer...), mas que acabou por resultar. Com uma bela dourada no pecúlio, insisti na navalha e sempre com bons toques, enquanto o Pedro ainda continuou com o caranguejo durante uns lançamentos. Mas teve de se render à evidência – o meu “feeling” tinha sido certeiro e as douradas hoje estavam viradas para as navalhas. Quando mudou para este isco, ainda conseguiu safar a grade com uma dourada bem bonita e, mais tarde, ainda tirou um sargo, mas neste caso aproveitou-se da qualidade das minhas iscadas e dos meus lançamentos, já que tirou o sargo com uma das minhas canas, numa altura em que eu tinha ido à casa de banho improvisada...

Resultado final – 4-1! Goleada para o “cotinha”, que uma vez mais provou que com iscos orgânicos não dá hipóteses aos competidores!!! Isso de pescar com “plásticos” ou "ferros" é uma forma de enganar os pobres peixinhos, sem os alimentar...

Para terminar uma jornada de pesca curtinha(cerca de duas horas e meia) fomos atraídos, quando nos dirigíamos para o carro, por um cheirinho a peixe grelhado. Atracção fatal, não o filme, mas o aroma, lá nos levou ao restaurante para degustarmos uns belos chocos grelhados, com batata cozida e um molho verde divinal... Um belo fim de festa!

E depois deste dia, é justo que se diga que apesar de já coroado “Rei dos Meros”, agora também tenho direito a uma Medalha... Dourada!!!

9 comentários:

  1. Assim é que é José, a dar aulas ao filho... Realmente é muito diferente pescar com iscos orgânicos ou iscos de plástico. Um abraço e venham mais para vermos.
    Filipe.

    ResponderEliminar
  2. Eheheheheh!
    Hoje não há dúvidas, tenho que meter a viola ao saco! :)

    ResponderEliminar
  3. Sr José a dar mais uma aula como se pesca peixe de qualidade ao filho que ainda tem muito que aprender ahahahahah!
    Parabéns ao duo por mais um bom momento com umas belas douradas!
    Agora o xinante Atmosférico que se prepare para uma próxima oportunidade,não para pescar,mas sim para os dar ao dente aos choquinhos com o verdadeiro molho verde!NHAM NHAM
    Forte abraço
    Rui Urubu

    ResponderEliminar
  4. Belas douradas.
    Sem amostras Pedro, levas cavazada do teu Pai.
    Parabens pela pescaria Sr.Cruz.
    Quanto ao cheiro do peixe grelhado.. sei bem o que isso é.. S.Jacinto é o meu pesqueiro favorito não só pela pesca mas também pelos belos momentos de degustação que me proporcionaram os restaurantes locais depois de uma bela jornada pesqueira.
    Grande abraço aos dois amigos.

    Sérgio Silva (Cuco)

    ResponderEliminar
  5. A Famelga Cruz a dar que falar mais vez!!! Parabéns pela pescaria, relato e fotos. Há quem continue a não acreditar, mas a "kotisse" é um posto eheheheheheheh. Grande abraço aos dois. Cabé

    ResponderEliminar
  6. Boas amigos
    Afinal a idade é um posto ahahhah.
    Abraço.
    Valadas

    ResponderEliminar
  7. Alô José!
    Uma Dourada bem bonita, e com muita sorte a mistura, pois nunca se deve tirar um peixe assim... correu bem é o k interessa :)
    Saude

    ResponderEliminar
  8. Muitos parabens sr. Cruz, linda Dourada...o pedro bem tem que se render!!!Mais uns momentos bem passados, no mar e em família!!!Um grande abraço aos dois!
    Do amigo, Murangu xixi...

    ResponderEliminar
  9. Muitos parabens aos pescadores, porque se um sabe tirar os bichos, o outro sabe quando deve ir e onde. Por isso qual Batman e Robin, a dupla esta muito forte...ololololol
    O local em particular faz/me sempre lembrar as pescarias dos mini/mickeys que cheguei a fazer por la...ololo
    MAI NADA
    Xinante Atmosferico

    ResponderEliminar