domingo, 30 de janeiro de 2011

O estímulo para muitas mais grades... ou não...

Gosto cada vez mais de ir à pesca! O desejo de estar perto do Mar é cada vez maior. Não sei se passou de um gosto a um vício ou obsessão. A verdade é que é das coisas que mais prazer me dá e desde que não condicione as outras actividades do dia-a-dia (o que por vezes chega a acontecer) é super saudável. Como tudo o resto na vida, sem exageros!
Mais importante do que pescar (entenda-se, tirar peixe) é ir à pesca. O próprio ritual que envolve o "ir à pesca" é viciante: o preparar as roupas, a cana e o carreto, escolher as amostras em que temos mais fé para aquele dia, escolher o "spot" ...
Para além dos rituais, temos o elemento chave - a incerteza. A incerteza é o sal da pesca. Mesmo num mundo tecnológico em que temos previsões diárias, quase ao minuto, dos parâmetros metereológicos, felizmente nem sempre estão certos! Felizmente, porque caso contrário, muitas das vezes que saídos de casa para nos encontrarmos com um grupo de Amigos junto ao Mar prevendo que estará "bom tempo" e não está, se o Windguru não se tivesse "enganado" esse encontro não teria tido lugar. Por outro lado, existem aqueles dias em que as previsões nos dizem para ficar em casa e o nosso "feeling" diz o contrário e acabamos por dar de caras com um belo robalo.
A maior incerteza relaciona-se com a presença de peixe no local escolhido. A escolha do "spot" é, para quem de facto gosta de ir à pesca, outro momento de fé e de "feeling". Predar um dos maiores predadores da nossa costa tem muito de sorte, mas também de saber - o saber acumulado ao longo de muitos dias de pesca, de muitas insistências, de muita observação e acima de tudo, de muitas grades.
Há uns dias atrás, depois de 1 mês e 4 dias sem sentir um peixe apesar de várias idas à pesca, tive o prazer de ferrar um bonito robalo.
Já insistia naquela praia há cerca de duas semanas e apesar das grades sucessivas mantinha a vontade de lá voltar. Tentativa aqui, tentativa ali, lanço num spot complicado pela primeira vez. Encontrava-me em cima de uma pedra alta e com muitas pedras pela frente, algumas emersas e muitas outras ainda cobertas por água. Acabo de fazer o lançamento e penso na melhor maneira de trazer um peixe até mim caso tivesse a felicidade de o enganar. Não seria fácil certamente pois a corrente era forte e tinha muitos caneiros para "guiar" o peixe. O lançamento foi em frente e recolhi a zagaia, bastante empurrada pela corrente, à minha direita, depois de ladear um maciço rochoso. O meu Amigo Xavier, que tinha encontrado ao chegar à praia, sugere que mudemos de sítio uma vez mais, pois aquele já tinha pouca água. Peço-lhe para fazer apenas mais um lançamento. A amostra cai uns metros mais à esquerda que o primeiro. Começo a corricar e sinto um toque que parecia numa pedra; estico a linha e já estava ferrado! Chamo o meu Amigo e ele pousa a cana e vem logo para perto de mim. Ainda bem, pois o peixe nadou de imediato para a rocha ilhada na minha frente, do lado oposto a mim, impossibilitando-me de corricar mais linha, que já estava a roçar a pedra. Com o braço que agarrava a cana no ar e todo esticado, tentando evitar que a linha rebentasse, pedi ao meu amigo que avançasse nas rochas para lhe passar a cana e tentar avançar pelo caneiro de água que nos separava. Assim foi. O Xavier atravessou o caneiro, passei-lhe a cana sempre com o cuidado de manter a linha tensa e sem nunca ter deixado de sentir as "turras" do peixe e passei para essa pedra onde viria a ser mais fácil para mim corricar o peixe, com melhor ângulo para o fazer atravessar com uma onda através de uma fenda na rocha ilhada. Quando isso aconteceu, vimos o peixe pela primeira vez à nossa frente e era maior do que aparentava. O Xavier gritou "abre o drag!", mas poucos segundos depois tinha o robalo aos seus pés.
Desta vez valeu-me a ajuda do meu Amigo, o terminal 0,50 de monofilamento (mais resistente que o multi à abrasão provocada pela rocha) e o meu conjunto de pesca renovado há meses (para durar uns anos): Lesath Power Game 3,30m e Stella 5000 SW.


Deu-me ainda mais prazer ter tirado este bonito exemplar num local que fui explorando e conhecendo pouco a pouco. Foi também um estímulo para muitas mais grades... ou não... porque em todas elas aprendo sempre mais alguma coisa, quanto mais não seja novos nós, sempre que vou com o Jerbas ou com o Varadas. E não foi a sucessão de grades que me fez (nem fará) deixar de ir à pesca! Eu gosto mesmo é de "IR À PESCA" e não necessariamente de tirar peixe... mas que sabe bem, lá isso sabe! Fica o sal (a incerteza) das próximas pescas...

28 comentários:

  1. Boas JP Cruz,

    esses últimos lançamentos são fodi...lixados... hehehehehehe...

    Realmente, bonito peixinho ;)

    Grd abr, Matos

    ResponderEliminar
  2. Estás um Senhor, tanto na pesca como nos relatos!!! Consegues pôr o Povo na rocha a pescar contigo e sentir as tuas emoções. Parabéns e um abraço. Cabé

    ResponderEliminar
  3. Obrigado Amigo Cabé, mas prefiro ter mesmo os Amigos como tu ao lado na pedra! ;)
    Abração!

    ResponderEliminar
  4. Boas amigo ,peixinho da medida.
    Parabens.
    Pesco desde que nasci, e estou sempre a aprender.
    A humildade acima de tudo.
    Abraçao.
    Valadas

    ResponderEliminar
  5. Obrigado grande Varadas!
    Tenho aprendido muito contigo - és um grande senhor (e um bocado enganador também! ahahahah)!

    Abração!

    ResponderEliminar
  6. Finalmente apanhaste um peixe digno,tanto choraste que pimba LOL......já merecias este belo robalo pela tua persistência,agora é sempre abrir.
    Parabéns my friend :)

    Abraço
    Urubu

    ResponderEliminar
  7. Parabéns Amigo !
    É um bonito peixe , mas já sabes que se eu estivesse lá contigo seria,com certeza, aqui do "je" !ahahahha
    "O Primeiro milho é dos pardais"

    Abração !
    Rei João

    ResponderEliminar
  8. Oh King Petas, este ano vais ver o milho (outra vez)! Ahahahah!
    Só livras as grades com taínhas! LOL

    Abração!

    ResponderEliminar
  9. A persistência é o segredo grande Urubas! ;) Já sabes a música para o xavalo?

    "Não pesca nada,
    é só choradeiraaaaa,
    tira taínhas,
    tira maragotas,
    o ano inteiroooooo!"


    Ahahahah!

    ResponderEliminar
  10. Há que ter sempre fé nos últimos lançamentos :)
    Bonito robalo.....

    http://momentos-de-pesca.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  11. Fantástico relato Pedro...Parabens!!!Realmente o tempero desse relato só poderia dar num "prato" divino...Lindo Labrax!!!
    Tantas e tantas grades...o importante é mesmo manter tudo bem temperado, porque eles andam aí!!!
    Um grande abraço!

    Murangu

    ResponderEliminar
  12. É verdade Amigo Ricardo, eles andam aí! ;)
    Abração!

    ResponderEliminar
  13. Rei dos Mikis o caraças!
    Bem jeitoso esse exemplar e exemplar é igualmente o relato!
    Tás um poeta!
    Grande abraço e parabéns!
    Atmosférico

    ResponderEliminar
  14. Parabéns Zé Pedro, que belo peixe, como diz o Cabé "A grade cimenta a nossa FÉ" e tu fostes recompensado pela FÉ que tinhas nesse pesqueiro, que por acaso até sai uns peixes por lá, mas o que gostei para além do peixe foi a precisão do tempo 1 mês e 4 dias de um peixe para o outro, é obra, isso quer agora é continuação e que não demore tanto tempo, abraço.

    ResponderEliminar
  15. Obrigado Xininha! ;)
    Tu é que andas a falhar... no dia em que voltares a ir à pesca ainda tens a sorte de te estreares! ;)

    ResponderEliminar
  16. Olá Vasco!
    Obrigado pelas tuas palavras! Já soube que uns dias depois deste de caras com outro labrax por aqueles lados! Parabéns também para ti!
    Faz falta malta que procure novos spots, pois "atoadeiros" não faltam!
    Temos de explorar as praias mais a Norte dos nossos "quintais"! ;)

    Abração e já agora má sorte para Quarta-feira! LOL (lá estarei para vos receber ao vivo) LOL

    ResponderEliminar
  17. Foi uma jornada de pesca inesquecível.
    Um peixe lindo com um lançamento quase imoral... eu nunca me atreveria, mas por vezes é preciso quebrar regras.
    O teu conjunto é mesmo soberbo. Pois quando tive o peixe a meu comando nunca diria que era tão grande.
    Essa cana tem mesmo uma reserva de força fantástica.
    Ainda bem que foste tu a ferrar esse exemplar, porque a minha "Cotonette" não sobrevivia a tamanha provação de certeza.

    ResponderEliminar
  18. Grande Jerbey!
    É sempre um prazer ir pescar contigo, mesmo quando nos encontramos sem ter combinado! ;)
    De facto é preciso quebrar regras e arriscar, pois na pesca o factor incerteza é indissociável. Com as zagaias custa menos cometer "imoralidades", como lhe chamaste. Ahahahah! São baratinhas, lançam bem e enganam peixe.
    Quanto à tua cotonete, acho que já deu mais que provas da sua qualidade quando manipulada por quem sabe como tu. Mas para os ferros continuo a aconselhar-te algo mais forte. Mas deves pescar como gostas porque a pesca, pelo menos para nós, é uma fonte de prazer e alegrias! ;)

    Um abraço meu bom Amigo!

    ResponderEliminar
  19. Isso sim, é um peixe á homem !!!!! A pesca é mesmo assim, quando menos se espera ai está um robalo na nossa cana ! Só tira peixe quem vai e tu tanto foste que o tiraste, parabéns amigo !!! Abraço ! Ass. Treclas from ´´Anaconda gangue``

    ResponderEliminar
  20. Grande Grandeeeeee

    Ke belo peixeeeeeeeeeeee

    ResponderEliminar
  21. Obrigado grande Treclas! Anaconda Gangue rulezzzzzzz!

    ResponderEliminar
  22. Olá Lilian! Há quanto tempo! Obrigado pela visita desde o Brasil! ;)
    Beijo!

    ResponderEliminar
  23. Parabéns pelo peixe. Força e continua dar-nos excelentes relatos. Gosto imenso de lêr o vosso blog.

    ResponderEliminar
  24. Obrigado Filipe!
    Continuarei com certeza a fazer relatos, mas cada vez mais distantes dos dias de pesca, pois andam muitos pescadores a aparecer no dia seguinte ao relato nos spots onde saem os peixes... enfim...

    ResponderEliminar
  25. Amigo Zé Pedro, se o pessoal aparece logo no dia a seguir ao relato, vindo à toada... ao menos diz sempre que foi num dos meus spots habituais... LOL... para ver se deixo de estar tão sozinho... LOL

    Spots soberbos e autênticos cemitérios de amostras.

    Venham eles!...

    ResponderEliminar
  26. João Pedro quando tiver oportunidade agradecia que entrasse em contacto com o Ricardo Bento ou comigo, gostariamos de falar consigo, poderá faze-lo atraves dos email
    ricardocruz79@gmail.com ou ligar para o eng... R bento

    ResponderEliminar
  27. O meu nome é José Pedro e não João... LOL

    ResponderEliminar