sexta-feira, 19 de julho de 2013

O PARAÍSO NAS FLORES - II - PESCA AO SPINNING


II - PESCA AO SPINNING

Nos dois primeiros dias, por causa do tempo, pescamos da costa. Fizemo-lo em Santa Cruz, Fajã Grande e no porto das Lages. Já contei a proeza do Pedro logo no primeiro dia, mas o episódio merece um relato mais pormenorizado. Acabamos de jantar por volta das 21,30 locais e ainda havia muita luminosidade. Derreado pela chuvada e por escassas horas de sono (saímos do Porto às 2 e 30 da madrugada para apanhar o avião em Lisboa às 6,30), recusei o convite do Pedro e fiquei pelo quarto do hotel, enquanto ele foi tentar a sorte numa enseada muito bonita situada mesmo junto da unidade hoteleira.


Já tínhamos constatado que a profundidade era considerável e o Senhor Vasco tinha-nos dito que havia muitas anchovas e bicudas junto à costa. Pouco mais de uma hora depois, e quando o Vitinho já me chamava para a cama, tocou o telefone. Era o funcionário da receção a pedir-me para descer, porque o meu filho tinha uma surpresa. Desci de imediato com a certeza de que eram boas notícias. No hall, o Pedro esforçava-se por esconder atrás das costas um peixe notável. Tratava-se de um pargo enorme! Uma captura espetacular em qualquer circunstância, mais ainda da costa, ao cair da noite, quase sem luz, e sem qualquer ajuda! A juntar a tudo isto, o meu filho teve ainda o sangue frio para pegar na máquina e filmar os últimos momentos da captura, não fosse o pargo escapar-se... Para coroar este feito, é fundamental dizer que o pargo vinha ferrado numa extremidade da boca. Pelo beicinho, como se costuma dizer! Melhores do que todas as palavras, as imagens são esclarecedoras.


É claro que fiquei de imediato sem sono e acompanhei o Pedro em novos lançamentos no mesmo local. Foi a chuva uma vez mais que nos mandou para a cama!
No domingo, ainda sem barco, voltamos ao spinning depois de almoço e de um passeio de carro pela ilha. Escolhemos a outra vila das Flores, as Lages, onde se situa o maior porto. Protegidos do vento acabamos por tirar alguns peixes-porco e um pequeno lírio.




Mais interessante foi ver como diversas espécies seguiam os vinis e as amostras, embora sem atacarem.
De regresso a Santa Cruz, jantamos mais cedo, e voltamos ao spot da noite anterior. Foram alguns minutos bem passados com a captura de anchovas e bicudas.




Alguns vinis ficaram com as marcas da voracidade destes peixes “maléficos”, outros completamente destruídos...


Tinha sido um bom aperitivo para a pesca embarcada dos dias seguintes...

(CONTINUA...)

15 comentários:

  1. Fantástico, fantástico, fantástico....!!!!

    Desejo um dia passar 1 ou 2 semanas nos Açores e poder explorar os cantinhos e ver a diversidade de peixes que existe nessas ilhas ;)

    Abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Morais!
      Para quem gosta de pescar as Ilhas Açorianas são "Hotspots" obrigatórios!

      Abraço!

      Eliminar
  2. Grande Zé e grande família..:-) Parabéns aos dois pelos dias passados junto ao mar e pelos belos peixes que tiraram..:-) tenho grandes recordações passadas nos Açores, pena que na altura, não ligava às fotos..hahahaha
    Um grande abraço e fico à espera de mais.

    Luís Malabar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh Luís não há dúvida que há momentos que nunca nos sairão da memória, mas eternizá-los numa foto ou vídeo torna as recordações mais vivas e permite-nos partilha-las.

      Grande abraço Amigo!

      Eliminar
  3. Parabéns aos dois.

    Imagens e momentos que ficam na memória de ambos! Cumplicidade única entre papa e filho.. Nem todos se gabam de momentos idênticos.

    Grande abraço amigos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já não tenho dúvidas que na próxima estás lá! ;) Ainda bem!

      Eliminar
  4. Boas José Pedro,

    Belas pescarias essas vividos de forma ímpar, parabéns aos dois, devem ter sido momentos inesquecíveis vividos por essas águas Açorianas.

    A pesca assim tem outro sabor e um sentido muito diferente!

    Um abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida que com o meu Pai todas estas experiências e emoções são exponenciadas e vividas ao máximo! Espera para veres o vídeo em que ele pescou o Mero que dá para perceber ainda melhor o que digo.

      Grande abraço!

      Eliminar
  5. Muito bom.
    Abraço aos dois pescadores.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O mítico ProfXina é que este ano anda a falhar...! Já não digo Açores... mas nem ao pé de casa?
      Estamos todos à espera desse dia! ;)

      Eliminar
  6. É óptimo ver pai e filho a pescarem juntos. É bom sinal, o relato está muito bom, sabe bem ler e ver todas as reportagens. Um abraço a ambos.
    Filipe.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Filipe!
      Sem dúvda que pescar com o meu Cotinha é antes de mais nada sinal que estamos bem de Saúde e que podemos fazer o que mais gostamos com quem mais gostamos. Se conseguirmos aliar a isso, como no caso, fazer boas pescas, é a cereja no topo do bolo! ;)

      Quando vens cá acima fazer-nos companhia numa jornadas?

      Abraço!

      Eliminar
  7. A familia Cruz desta vez foi até ao pescoço, não deram hipótese! Parabéns.
    Pode ser que um dia vá com vocês para essa terrinha maravilhosa.

    Abraço,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso é que era grande Urubas!
      Estou certo que havemos de voltar a atacar todos juntos as maravilhosas águas Açorianas! ;)

      Tu queres é... :)))))


      Grande abraço!

      Eliminar
  8. Menudo aparato, enhorabuena! LaS sensaciones me imagino que incomparables, un saludo

    ResponderEliminar