segunda-feira, 15 de julho de 2013

O PARAÍSO NAS FLORES - I - AS VIAGENS E O TEMPO


 
Depois da publicação do excelente “teaser” sobre a nossa viagem aos Açores, coube-me a mim a tarefa de contar as aventuras e desventuras vividas no paraíso das Flores. Ao contrário do habitual, em que relatava por cada dia de estadia, desta vez decidi fazê-lo por temas. Penso que assim é mais fácil para o meu filho Pedro a edição das fotografias e dos vídeos. Espero que gostem tanto ou mais do que nós destes relatos bem documentados, que dão a conhecer a lindíssima ilha das Flores, as suas potencialidades para a pesca desportiva e a qualidade humana dos nossos anfitriões – o sr. Vasco e o seu filho Diogo. O sucesso desta incursão deve-se em grande parte a eles. Obrigado por tudo!

I - AS VIAGENS E O TEMPO

Sempre que planeamos uma escapadela aos Açores para pescar, vamos com o coração nas mãos por causa do tempo. É conhecida a máxima que diz que no arquipélago em cada dia se vivem as quatro estações. Já vimos que é verdade, ou seja que após um período de chuva intensa pode aparecer um dia radioso. O problema é conciliar esta instabilidade atmosférica com as condições ideais de pesca no mar. O melhor é ter fé e confiar que os deuses serão nossos aliados. E têm sido, de tal forma que o melhor tempo que encontramos foi na primeira viagem ao Faial, que ocorreu em meados de Outubro...


Desta vez, escolhemos o pino do Verão, mas no primeiro dia (um sábado) mais parecia estarmos num Inverno rigoroso – vento forte e chuva incessante e forte; para amenizar o cenário, apenas a temperatura era agradável, muito menos agressiva que os 37º graus centígrados que se faziam sentir no Porto!


Impedidos de fazer pesca embarcada, decidimos tentar o spnining de costa. Fomos até Ponta Delgada (nas Flores, para evitar confusões), Fajãzinha e acabamos na Fajã Grande. Pescamos durante duas, três horas, sempre com chuva intensa e algum vento. Não saiu peixe, mas ficamos molhadinhos até... ao tutano!


Por mim dei por concluído o dia de pesca, após um bom jantar, mas o Pedro insistiu já de noite, mesmo em Santa Cruz, a dois passos do hotel e com ótimos resultados – um valente pargo pescado ao vinil!



Nos restantes dias o tempo começou a melhorar, embora no domingo não tenha sido ainda possível ir pescar de barco por causa do vento. Nos restantes dias fomos brindados com dias agradáveis, sem vento, um mar estanhado e temperaturas agradáveis, quase iguais de dia e de noite. Assistir a um pôr do sol viajando de barco a alta velocidade entre as ilhas do Corvo e das Flores é um espetáculo inolvidável. Há um fascínio diferente e até parece que o astro rei insiste em demorar a deitar-se!


Neste apontamento falta falar das viagens. Desta vez fizemos todos os percursos em aviões da SATA. Viagens tranquilas, em aviões modernos e recentes, aparentemente com mais espaço entre os bancos do que noutras companhias. A escolha das Flores implicou uma escala em Ponta Delgada e um voo num avião mais pequeno para as Flores. A aterragem em Santa Cruz ocorreu no meio de uma verdadeira tempestade com ventos moderados e muita chuva, mas foi perfeita apenas com uma travagem de “flaps” bastante forte. Em suma, a experiência dos pilotos da SATA habituados a pistas reduzidas é uma garantia de segurança!



(CONTINUA...)

5 comentários:

  1. Grandes momentos e grandes filmagens com muita chuva à mistura
    Relatos com muita emoção.
    Venha a parte II :)

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Relatos nas mãos de profissionais tem selo de garantia e qualidade.

    Imagens editadas com excelência a que o Pedro já nos acostumou.

    Ver estas imagens apetece logo ter uma experiência idêntica. Logo vemos o que se propicia no futuro! Sei que vem aí muito mais e confesso: palavras para que? Honestamente sem palavras.

    Continuem a brindar-nos com os relatos e imagens que se seguem.

    Abraço.

    ResponderEliminar
  3. Grande relato, filmagens e fotografias com tratamento spielberg, dá um conjunto imbatível. Desta forma quase se consegue sentir parte das emoções e experiências vividas.
    Abraço aos dois e penso que possivelmente estamos perante as imagens mais bem tratadas de todas as viagens.
    Parabéns.
    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Parabéns pelos relatos!
    Imagens espetaculares que nos fazem sentir, vontade de saltar da cadeira e ir tentar a nossa sorte...
    Essa imagem dentro do avião, vá lá que a hospedeira não viu, senão mandava logo desligar o equipamento...:)
    Vou continuar muito atento a estes relatos de qualidade!

    Forte Abraço

    ResponderEliminar

  5. Boas Grande Zé..:-) Parabéns pelos vídeos e pelos peixes amigo, um espectáculo de vídeos e de alegria..:-)
    Um grande abraço e fico à espera de mais

    Luís Malabar

    ResponderEliminar