sexta-feira, 2 de agosto de 2013

O PARAÍSO NAS FLORES - IV - A COMIDA E O RESTO


IV - A COMIDA E O RESTO

Conheço quase todas as ilhas do arquipélago dos Açores. São todas diferentes e cada uma encerra a sua beleza intrínseca. Das Flores sabia que era a ilha mais ocidental, que tinha conhecido um forte desenvolvimento com a instalação de uma base francesa de rastreio de satélites e que era a única onde se podiam pescar trutas nas suas múltiplas ribeiras. Não sabia que era tão linda, cheia de flores (e não apenas hortências), e com carateristicas geológicas tão distintas, como são as imensas lagoas, as rochas dos bordões e as impressionantes quedas de água. Paisagens inesquecíveis!










Também não sabia que é a ilha onde mais chove. Tem atualmente menos de 4 mil habitantes. A recessão chegou há muito. A saída dos franceses e o encerramento da base militar foram um rude golpe para a economia local, que procura agora um rumo. O turismo é uma boa aposta e convivi com imensos turistas alemães e franceses. A tranquilidade, a beleza das paisagens e as atividades ligadas ao mar podem aumentar o leque da oferta turística.


Para já, há poucos restaurantes, mas os que existem servem bem, destacando-se o “Pôr do Sol”, situado na Fajãzinha.






Embora indo contra os meus interesses, os responsáveis locais e regionais podem – e devem - apostar no setor da pesca desportiva. Ainda há muito peixe e gente capaz de explorar verticalmente este nicho de mercado. E já estou a ver uma campanha publicitária com o seguinte lema: “Venha às Flores, onde pode pescar um mero à mão”!


E esta, hem?!

2 comentários:

  1. Paisagens magnificas! Comidinha da melhor... Fome vocês não passaram!
    Como bem sabes, para mim a pesca esta associada a boa companhia e umas tainadas, nem que seja apenas um simples lanchinho caseiro.

    Mais uma vez parabéns aos dois. Espectacular!

    Abraco

    ResponderEliminar